Esperidião Elói de Barros Pimentel
Esperidião Elói de Barros Pimentel

Advogado, chefe de polícia e magistrado, natural de Palmeira dos Índios/AL. Deputado Provincial e Geral de Alagoas, Presidente interino da Província de Santa Catarina e Presidente das seguintes Províncias: Rio Grande de São Pedro, Alagoas, Rio de Janeiro e Bahia, no século XIX. Ministro do Supremo Tribunal Federal.

Informações Gerais

Filiação
José de Barros Pimentel e Bárbara Wanderley
Nascimento
14/12/1824
Local de nascimento
Palmeira dos Índios/AL
Falecimento
15/03/1906
Local de falecimento
Rio de Janeiro/RJ
Formação
Ciências Jurídicas e Sociais
Profissão
Advogado, chefe de polícia e magistrado
Partido
Partido Conservador

Esperidião Elói de Barros Pimentel

Nasceu em 14 de dezembro de 1824, em Palmeira dos Índios, região agreste de Alagoas. Filho de José de Barros Pimentel e de Bárbara Wanderley. Casou com Augusta de Barros Pimentel, com quem teve filhos. 

Bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito de Olinda, em 1847. 

Exerceu o cargo de Juiz de Direito nas Comarcas de: Flores (Pernambuco), em 1854; Imperatriz (Alagoas), em 1855; Santos, em 1861; e Paraibuna (Minas Gerais), em 1882.

Em Santa Catarina, foi Chefe de Polícia em 1858 e Vice-Presidente da Província, nomeado por Carta Imperial em 9 de setembro de 1859. Assumiu interinamente a Presidência da Província e exerceu de 23 de setembro a 21 de outubro de 1859. Transmitiu o cargo para Francisco Carlos de Araújo Brusque.

No Rio de Janeiro passou a chefiar a Polícia da Corte. 

Foi Deputado pela Província de Alagoas, na Assembleia Legislativa Provincial, e na Assembleia Geral Legislativa (atual cargo de Deputado Federal), eleito em 1861, nesta última, atuou na 11ª, 12ª, 13ª, 16ª e 17ª legislaturas.

Presidiu ainda as Províncias de Rio Grande de São Pedro (hoje Rio Grande do Sul), de 1863-1864, de Alagoas, de 1865-1866, do Rio de Janeiro, de 1866-1868, e da Bahia, em 1884

Foi nomeado Desembargador da Relação de São Paulo (1882) e do Rio de Janeiro (por decreto de 28 de fevereiro de 1885). 

No período republicano, foi Desembargador do Pará e da Corte de Apelação do Rio de Janeiro (1890). Tornou-se Ministro do Supremo Tribunal Federal, por decreto de 25 de janeiro de 1892, e aposentou-se em novembro de 1893.  

Faleceu em 15 de março de 1906, no Rio de Janeiro/RJ.

Condecoração: Imperial Ordem da Rosa, em 1866.

Imagens

Retrato de Esperidião Elói de Barros Pimentel
Fonte: CORRÊA, 1983, p. 239.
 
Assinatura de Esperidião Elói de Barros Pimentel
Fonte: CORRÊA, 1983, p. 239.

Mandatos

  • Executivo/Estadual

    Governador Interino

    Partido Conservador
    Presidente Interino
Referências

ASSOCIAÇÃO DO FISCO DE ALAGOAS - ASFAL. Cidade Maravilhosa – Coluna do Perrê. 2013. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODE1OTI=>. Acesso em: 5 set. 2017.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Ministros: Esperidião Eloy de Barros Pimentel. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODE1NTM=>. Acesso em: 5 set. 2017.

CORRÊA, Carlos Humberto Pederneiras. Os Governantes de Santa Catarina de 1739 a 1982. Florianópolis: Editora da UFSC, 1983. 356 p.

CPDOC. Fundação Getúlio Vargas. Verbete Biográfico: Esperidião Elói de Barros Pimentel. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODE1NjY=>. Acesso em: 5 set. 2017.

IDENTIDADES DO RIO. 1866 - 1868: Esperidião Elói de Barros Pimentel. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODE1Nzk=>. Acesso em: 5 set. 2017.

PIAZZA, Walter F. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994. 714 p.

PIAZZA, Walter F. O Poder Legislativo Catarinense: das suas raízes aos nossos dias 1834-1984. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984. 800 p.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia Esperidião Elói de Barros Pimentel. 2019. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/1162-Esperidiao_Eloi_de_Barros_Pimentel>. Acesso em: 11 de dezembro de 2019.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2019)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2019)

Memória Política de Santa Catarina