Doutel de Andrade
Doutel de Andrade

Advogado, jornalista e construtor civil, natural do Rio de Janeiro/RJ. Vice-Governador de Santa Catarina e Deputado Federal por Santa Catarina e pelo Rio de Janeiro, no século XX. Primeiro eleito do Partido Trabalhista Brasileiro catarinense à Câmara dos Deputados. Teve mandato cassado no período da ditadura militar.

Informações Gerais

Nome completo
Armindo Marcílio Doutel de Andrade
Filiação
Armindo Augusto Doutel de Andrade e Cândida Margarida Doutel de Andrade
Nascimento
17/11/1920
Local de nascimento
Rio de Janeiro/RJ
Falecimento
07/01/1991
Local de falecimento
Rio de Janeiro/RJ
Formação
Direito
Profissão
Advogado, jornalista e construtor civil
Partido
Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e Partido Democrático Trabalhista (PDT)

Doutel de Andrade

Nasceu em 17 de novembro de 1920, no Rio de Janeiro/RJ. Filho de Armindo Augusto Doutel de Andrade e de Cândida Margarida Doutel de Andrade.

Casou com Lígia Doutel de Andrade, com quem teve filhos. A esposa foi eleita Deputada Federal por Santa Catarina, para o período de 1967-1970, pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), mas teve o mandato cassado pelo Ato Institucional nº 5, em 1969. Seu sogro, José da Costa Moellmann, foi engenheiro, Prefeito de Florianópolis e Secretário da Fazenda de Santa Catarina.

Armindo, conhecido politicamente como “Doutel de Andrade”, realizou sua formação no Rio de Janeiro: o primário (Grupo Escolar Rio Grande do Sul); o secundário, (Instituto Lafayette) e o superior em Direito (Universidade Federal Fluminense).

Como jornalista, atuou nos folhetins O Globo, Diretrizes, Diário da Noite e O Jornal, e fez a cobertura das eleições presidenciais de 1945, sendo eleito Eurico Gaspar Dutra para mandato de 1946-1951, da Constituinte de 1946, e do segundo governo do Presidente Getúlio Vargas (1951-1954). 

Em 1950, passou a atuar como advogado do Banco do Brasil, nomeado pelo Presidente Vargas. Em 1952, assumiu a função de Primeiro-Secretário do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e integrou o gabinete do Ministério do Trabalho, comandado por João Goulart, a partir de 1953.

Foi o primeiro Deputado Federal do PTB de Santa Catarina, eleito em 1958, com 28.217 votos, tomou posse e exerceu funções à 41ª Legislatura (1959-1963).

Em 1959, foi escolhido presidente do PTB em Santa Catarina e foi o Vice-Líder da bancada de seu partido na Câmara.

Em 1960, elegeu-se Vice-Governador de Santa Catarina, na chapa encabeçada por Celso Ramos, mas não renunciou ao cargo de Deputado Federal, pois não houve necessidade de assumir o Executivo durante o mandato.

A atuação de Doutel de Andrade foi fundamental durante a crise política e militar causada pela renúncia do presidente Jânio Quadros e a entrada de João Goulart no poder em 1961, que causou tensões em todo o país. Na ocasião atuou como porta voz do governo na tribuna da Câmara, comunicando a disposição de Goulart em alterar o sistema de governo do Brasil para parlamentarista.

Em 1962, foi reeleito Deputado Federal por Santa Catarina, pelo PTB, com 37.393 votos - o segundo deputado mais votado no Estado, participou da 42ª Legislatura (1963-1967). Assumiu a Vice-Liderança da maioria e do PTB na Câmara. Integrou a Frente Parlamentar Nacionalista (formada para defender políticas e soluções nacionalistas para os problemas do desenvolvimento brasileiro), e foi Observador Parlamentar na 26ª Conferência Internacional de Instrução Pública, realizada em Genebra, no ano de 1963.

Um dos maiores defensores do governo Goulart, de quem recebeu uma mensagem justificando a decisão de deixar o país em 1964, no curso de sua deposição. Diante das mudanças políticas, Doutel tornou-se líder do PTB e da minoria na Casa.

Com a instituição do bipartidarismo no Brasil (imposto pelos decretos militares: Ato Institucional n° 2, regulamentado pelo Ato Complementar n° 4), filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), em 1966, e foi seu Vice-Líder. Articulou a Frente Ampla e o Movimento de Resistência Militar Nacionalista.

Por sua atuação efetiva contra o regime militar, teve seu nome incluído na Lei de Segurança, de 1966, perdeu o mandato de Deputado Federal e teve os direitos políticos suspensos por dez anos (Decreto de 13/10/1966, publicado no Diário Oficial de 14/10/1966, p. 11.877). Ficou detido por alguns dias, indiciado em inquérito policial militar (IPM) - que investigava as atividades do Partido Comunista Brasileiro (PCB).

Mesmo sem mandato, Doutel continuou sua militância, apoiou candidatos contrários ao regime militar e participou de encontros e congressos trabalhistas.

Com a Lei da Reforma Partidária (1979), passou a integrar a Comissão Nacional de reorganização do PTB, tendo este se fragmentado, participou da fundação do Partido Democrático Trabalhista (PDT), agremiação em que Leonel Brizola foi Presidente e Doutel, Vice.

Em 1980, com a Lei de Anistia, foram restituídos seus direitos e assumiu seu posto no Banco do Brasil.

Quando Leonel Brizola foi eleito Governador do Rio de Janeiro (1983), passou a presidir nacionalmente o PDT e representou o partido nas caravanas das Diretas Já (1983-1984).

Candidatou-se a Deputado Federal pelo Rio de Janeiro, em 1986, obteve uma suplência, foi convocado em 1989, para a 48ª Legislatura (1987-1991), efetivado em 3 de janeiro de 1989, na vaga do PDT, deixada pelo Deputado Noel de Carvalho. Tornou-se Líder do partido no Congresso.

Faleceu em 7 de janeiro de 1991, no Rio de Janeiro/RJ.

Em 2012, em sessão solene, a Câmara dos Deputados fez a devolução simbólica aos 173 parlamentares que tiveram mandatos cassados pela ditadura militar, entre eles, Doutel e Lígia.

"As sentenças da História podem tardar, mas são inexoráveis. E dia virá em que o império da lei e a vontade do povo hão de prevalecer". Doutel de Andrade.
Homenagens:
  • Centro Integrado de Educação Pública Armindo Marcílio Doutel de Andrade, Campo Grande, Rio de Janeiro/RJ.
  • Centro de Educação Infantil Doutel de Andrade, Boa Vista, Curitiba/PR.
  • Centro de Educação de Jovens e Adultos, Centro, Balneário Camboriú/SC.
  • Diversas ruas e avenidas com seu nome nos Estados de Santa Catarina, do Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Mandatos

Referências

ESCOLA MUNICIPAL DOUTEL DE ANDRADE - EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODAxODE=>. Acesso em: 15 abr. 2019.

ABREU, Alzira Alves de. Dicionário histórico-biográfico brasileiro: Pós-1930. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2001. 6211 p. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzgxNQ==>. Acesso em: 30 mai. 2018.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Biografia: Doutel de Andrade. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODAyMjA=>. Acesso em: 15 abr. 2019.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Parlamento mutilado: deputados federais cassados pela ditadura de 1964. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzk2NDA=>. Acesso em: 9 abr. 2019.

BRASIL. Senado Federal. Grandes Momentos do Parlamento Brasileiro. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODAyMDc=>. Acesso em: 15 abr. 2019.

CPDOC. Fundação Getúlio Vargas. Armindo Doutel. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODAyNDY=>. Acesso em: 15 abr. 2019.

CPDOC. Fundação Getúlio Vargas. Verbete Biográfico: Armindo Marcilio Doutel de Andrade. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODAyMzM=>. Acesso em: 15 abr. 2019.

CPDOC. Fundação Getúlio Vargas. Verbete Biográfico: Frente Parlamentar Nacionalista (FPN). Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODAxNTU=>. Acesso em: 15 abr. 2019.

ESCOL.AS. Armindo Marcilio Doutel de Andrade. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODAxNjg=>. Acesso em: 15 abr. 2019.

GUIA MAIS. Doutel de Andrade. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODAxOTQ=>. Acesso em: 15 abr. 2019.

PIAZZA, Walter F. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994. 714 p.

PIAZZA, Walter F. O Poder Legislativo Catarinense: das suas raízes aos nossos dias 1834-1984. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984. 800 p.

RODRIGUES, Natália. Estado Novo. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNjA0MzI=>. Acesso em: 21 mai. 2017.

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL. Resenha Eleitoral - Eleições Catarinenses 1945-1998. 2001. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNjI2OQ==>. Acesso em: 30 nov. 2017.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia Doutel de Andrade. 2020. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/1239-Doutel_de_Andrade>. Acesso em: 04 de julho de 2020.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2020)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2020)

Memória Política de Santa Catarina