Francisco José de Sousa Soares de Andrea
Francisco José de Sousa Soares de Andrea

Militar e engenheiro, natural de Lisboa/Portugal. Presidente das seguintes Províncias brasileiras: Pará, Santa Catarina, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Bahia, e Deputado Geral pelo Pará e pelo Rio de Janeiro, no século XIX. Marechal e Barão de Caçapava.

Informações Gerais

Filiação
José Joaquim Soares de Andrea e Isabel Narcisa de Sant'Ana e Sousa
Nascimento
29/01/1781
Local de nascimento
Lisboa/Portugal
Falecimento
02/10/1858
Local de falecimento
São José do Norte/RS
Formação
Matemática, Astronomia, Navegação, Prática de Observatório e Engenharia Militar
Profissão
Engenheiro e militar
Partido
Partido Conservador

Francisco José de Sousa Soares de Andrea

Nasceu em 29 de janeiro de 1781, em Lisboa, Portugal. Filho do fidalgo José Joaquim Soares de Andrea e de Isabel Narcisa de Sant'Ana e Sousa. Em 1809, casou com Germana Rita Brito de Vitória Soares de Andrea, com quem teve Luiza Adelaide, Rita Isabel e José.

Matriculou-se na Real Academia de Marinha, concluindo os cursos de Matemática, Astronomia, Navegação e Prática de Observatório em 1801. Colou grau de Engenheiro Militar, em 1804.

Vida Militar

No início da carreira, assentou Praça de Aspirante e de Guarda-Marinha (24 de janeiro de 1791), e Voluntário no Regimento de Infantaria nº 2 do Exército Português (14 de dezembro de 1796). Ao longo do exercício militar, recebeu as seguintes promoções militares:

  • Cadete de primeira classe (18 de fevereiro de 1797);
  • Alferes (15 de agosto de 1805);
  • Tenente (8 de março de 1808);
  • Capitão (7 de abril de 1808);
  • Major graduado efetivo (30 de janeiro de 1813);
  • Tenente-Coronel graduado (6 de outubro de 1817);
  • Coronel (15 de novembro de 1818);
  • Coronel efetivo (12 de outubro de 1823);
  • Brigadeiro (12 de outubro de 1826);
  • Marechal (1828);
  • Conselheiro de Guerra (17 de julho de 1846);
  • Tenente-General (15 de novembro de 1846);
  • Marechal reformado (17 de fevereiro de 1851).

Como militar e engenheiro desempenhou as seguintes funções e atividades:

  • Arma de Artilharia e participou da campanha de 1801, em Portugal, na companhia de seu irmão mais velho, Tomás José de Sousa Soares de Andrea;
  • Passou para a Marinha (1807) e acompanhou a vinda de Dom João VI ao Brasil;
  • Transferido para o Corpo de Engenheiros (1808);
  • Encarregado da Direção do nivelamento do Rio de Janeiro e construção de estradas;
  • Oficial do Arquivo Militar (1809-1812);
  • Responsável pelo reconhecimento e execução da estrada projetada do Rio de Janeiro ao Rio Preto (3 de abril de 1812);
  • Chefe de Engenheiros na Expedição destinada a pacificar a Província de Pernambuco, durante a Revolução Pernambucana (1817), responsável pelas obras civis e militares na província;
  • Encarregado da organização da Divisão Militar da Capitania de Pernambuco (6 de julho de 1818);
  • Comandante da Brigada de Engenheiros no Pará (1818);
  • Nomeado para fortificar a Província de Santa Catarina (julho de 1822);
  • Serviu no Exército do Sul, em operações contra a invasão Argentina (1826);
  • Nomeado para fortificar a Província do Rio Grande (atual Estado do Rio Grande do Sul) e sua fronteira (1828);
  • Comandante das Armas das Províncias de Santa Catarina (1829-1839), Pará (1830-1835), Rio Grande do Sul (1840-1848), Minas Gerais (1843) e Bahia (1844);
  • Vogal do Conselho Supremo Militar (1839);
  • Diretor do Arquivo Militar (1842);
  • Presidente da Comissão de Classificação dos Oficiais do Exército (1850);
  • Presidente da Comissão de Promoções (1852);
  • Presidente da Comissão de Demarcação dos limites fronteiriços entre o Império do Brasil e a República Oriental do Uruguai (1854).

Vida Política

Presidiu a Província de Grão-Pará (atual Estado do Pará/PA), de 9 de abril de 1836 a 7 de abril de 1839. Com sua força governista, combateu a revolta da Cabanagem (iniciada em 1835), dispondo de um quartel-general próximo à Capital (Belém), intensificou o treinamento de recrutas e coordenou ataques aos cabanos (maioria eram índios e mestiços), que foram perseguidos, caçados, presos e mortos durante o massacre sangrento que terminou em 1840 e aniquilou quase todos os cabanos.

Deputado à Assembleia Geral Legislativa do Império pelo Pará à 4ª Legislatura (1838-1841), como suplente convocado em 6 de junho de 1839.

Nomeado Presidente da Província de Santa Catarina, por Carta Imperial de 17 de agosto de 1839, exerceu as funções de 17 de agosto de 1839 a 26 de junho de 1840, em substituição a João Carlos Pardal. Durante seu governo acontecia a Guerra dos Farrapos ou Revolução Farroupilha - conflito iniciado no Rio Grande do Sul entre os anos de 1835 e 1845, contrário ao governo central brasileiro que cobrava altas taxas sobre produtos rio-grandenses (charque, erva-mate, couros, sebo, graxa, etc.), cobrança endurecida na década de 1830, sobre o charque gaúcho, preterido ao importado do Prata, e aumento da taxa de importação do sal, necessário para a fabricação do charque - fatores que desencadearam a guerra que durou 10 anos e a tentativa de separação do Brasil. 

As tropas revolucionárias avançaram para Santa Catarina e tentaram tomar Desterro/SC (atual cidade de Florianópolis), mas foram reprimidas pela pequena força militar de Andrea e retrocederam à Laguna/SC, onde instituíram a efêmera República Juliana (29 de julho a 15 de novembro de 1839). Na administração, foi substituído por Antero José Ferreira de Brito.

Depois se tornou Presidente das seguintes províncias:

  • Rio Grande (atual Rio Grande do Sul) - de 27 de julho a 30 de novembro de 1840. Continuou as ações de repressão aos farrapos e derrotou os combatentes em Laguna, liderados por Giuseppe Garibaldi.
  • Minas Gerais - de março de 1843 a 1844.
  • Bahia - de 22 de novembro de 1844 a 1846,
  • Rio Grande - de 10 de abril de 1848 a 6 de março de 1850.

Ingressou no Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), em 1º de dezembro de 1838, e integrou a Comissão de Geografia (1843-1844) e a Subsidiária de Geografia (1851).

Foi ainda Deputado Geral (atual cargo de Deputado Federal) pela Província do Rio de Janeiro à 5ª Legislatura (1843-1844).

Faleceu em 2 de outubro de 1858, em São José do Norte/RS.

Obras

  • O Carvão de Pedra no Rio Grande do Sul (1851);
  •  Observações sobre a Memória apresentada pelo Tenente-Coronel Jerônimo Francisco (1852);
  • Observações aos Apontamentos sobre o estado atual da Fronteira do Brasil, por Duarte da Ponte Ribeiro (1847);
  • Quadro das Distâncias Itinerárias entre as Principais Povoações da República do Uruguai (1866).
  • Cartas sobre a Fronteira Sul do País, em 1852, 1852-1854, 1854-1955, 1855, 1852-1860.
  • Carta Corográfica do Império do Brasil (1867).

Homenagens

  • Fidalgo da Casa Real (1796).
  • Grã-Cruz da Ordem de São Bento de Aviz (11 de setembro de 1843).
  • Comendador da Imperial Ordem da Rosa (23 de março de 1845).
  • Oficial da Ordem Imperial do Cruzeiro.
  • Título de Barão de Caçapava por Dom Pedro II do Brasil  (14 de março de 1855).

Imagem - Assinatura de Francisco José de Sousa Soares de Andrea

Fonte: Câmara dos Deputados - Arquivo Histórico, 1823.

Mandatos

  • Executivo/Estadual

    Governador

    Partido Conservador
    Presidente da Província de SC
Referências

DISCURSO PRONUNCIADO PELO PRESIDENTE DA PROVINCIA DE SANTA CATHARINA, O MARECHAL DE CAMPO FRANCISCO JOZE DE SOUZA SOARES D'ANDREA, NA SESSÃO ORDINARIA DO ANNO DE 1840 ABERTA NO PRIMEIRO DIA DO MEZ DE MARÇO. Desterro: Typ. Provincial, 1840. 66 p. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rOTA2NzU=>. Acesso em: 18 jun. 2019.

EXPOZIÇÃO FEITA PELO MARECHAL DE CAMPO FRANCISCO JOSÉ DE SOUSA SOARES DE ANDREA NO ACTO DE ENTREGAR A PRESIDÊNCIA DA PROVÍNCIA DE SANTA CATHARINA AO SEU SUCESSOR O EXM. SR. BRIGADEIRO ANTERO JOSÉ FERREIRA DE BRITO, EM 26 DE JUNHO DE 1840. 1840. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rOTA2ODg=>. Acesso em: 18 jun. 2019.

TRANSCRIÇÃO. 2017. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rOTA1ODI=>. Acesso em: 18 jun. 2019.

BACELAR, Jonildo. A República Juliana na Guerra dos Farrapos - 1839. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODkzMDI=>. Acesso em: 9 jun. 2019.

BARBOSA, Fidélis Dalcin. História do Rio Grande do Sul: 47 – Governantes do Rio Grande do Sul de 1737 a 1995. 4. ed. Porto Alegre: Projeto Passo Fundo, 1995. 305 p. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rOTA1NTY=>. Acesso em: 18 jun. 2019.

Câmara dos Deputados. Item 789 - Ofício do Sr. Francisco José de Sousa Soares de Andréa à Assembléia. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rOTA1MzU=>. Acesso em: 18 jun. 2019.

CONTEÚDO ABERTO. IN: WIKIPÉDIA: A ENCICLOPÉDIA LIVRE. Francisco José de Sousa Soares de Andrea. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rOTA2Mjg=>. Acesso em: 18 jun. 2019.

CORRÊA, Carlos Humberto Pederneiras. Os Governantes de Santa Catarina de 1739 a 1982. Florianópolis: Editora da UFSC, 1983. 356 p.

COSTA, Gustavo Marangoni. Entre contrabando e ambigüidades: Outros aspectos da Republica Juliana - Laguna/SC - 1836 - 1845. 2006. 167 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de História, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTUwMjM=>. Acesso em: 22 jun. 2018.

FERREIRA, Barbara. 54-Francisco José de Sousa Soares de Andréia, barão de Caçapava. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rOTA1OTU=>. Acesso em: 18 jun. 2019.

FERREIRA, Eliana Ramos. Guerreiras da Amazônia: nas matas, nos rios ou em combate, mulheres tiveram participação ativa na revolta popular da Cabanagem. Revista de História da Biblioteca Nacional: Mulheres em conflitos, Rio de Janeiro, v. 10, n. 117, p.16-18, 1 jun. 2015. Mensal. .. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rOTA2MTU=>. Acesso em: 18 jun. 2019.

INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO BRASILEIRO. Francisco José de Sousa Soares de Andréa, barão de Caçapava. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rOTA2NTQ=>. Acesso em: 18 jun. 2019.

PIAZZA, Walter F. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994. 714 p.

PIAZZA, Walter F. O Poder Legislativo Catarinense: das suas raízes aos nossos dias 1834-1984. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984. 800 p.

RODRIGUES, Pedro Eurico. Guerra dos Farrapos. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODM0MjU=>. Acesso em: 28 abr. 2019.

SANTANA, Miriam Ilza. República Juliana. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMjEwMTI=>. Acesso em: 3 mai. 2017.

SILVA, Bruno Izaías da. Cabanagem. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rOTA1MjI=>. Acesso em: 18 jun. 2019.

SILVA, Misleine Neris de Souza. Revolução Pernambucana de 1817. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODQ5NTA=>. Acesso em: 8 mai. 2019.

SOUZA, Rudney Marinho de. – Os Presidentes da Província de Santa Catarina após a Revolução Farroupilha. 2013. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rOTA1Njk=>. Acesso em: 18 jun. 2019.

WIKISOURCE. Galeria dos Brasileiros Ilustres/Barão de Caçapava. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rOTA2NDE=>. Acesso em: 18 jun. 2019.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia Francisco José de Sousa Soares de Andrea. 2019. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/1179-Francisco_Jose_de_Sousa_Soares_de_Andrea>. Acesso em: 16 de julho de 2019.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2019)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2019)

Memória Política de Santa Catarina