João Carlos Pardal
João Carlos Pardal

Militar, natural de Lisboa/Portugal. Presidente da Província de Santa Catarina, no século XIX. Na carreira chegou a Marechal.

Informações Gerais

Ano nascimento
1792
Local de nascimento
Lisboa/Portugal
Falecimento
15/03/1857
Local de falecimento
Rio de Janeiro/RJ
Formação
Militar
Profissão
Militar

João Carlos Pardal

Nasceu no ano de 1792, em Lisboa, Portugal. Mudou-se para o Brasil, em 1808, com a Família Real Portuguesa.  

Foi casado e teve filhos, entre eles, Mariana Leopoldina de Carvalho Pardal, casada com João Nepomuceno de Medeiros Mallet - militar de alta patente, governou o Ceará e o Mato Grosso, e ocupou funções ministeriais, entre outras exercidas.

João ingressou na Brigada Real de Marinha (03/01/1809) e ao longo da carreira recebeu as seguintes promoções: Cadete (14/12/1810); 2º Tenente (25/02/1813); 1º Tenente do Corpo de Artilharia (06/02/1818); Capitão (18/03/1820); Major graduado (24/06/ 1822) e efetivo (12/10/1823); Tenente-Coronel (22/01/1826); Coronel efetivo (12/01/. 1830); Brigadeiro graduado (12/09/1837); Brigadeiro efetivo (07/09/1842); Marechal de Campo (14/03/1847), efetivo (11/10/1848); Tenente-General (02/12/1855); reformado no posto de Marechal do Exército (07/07/1856).

Abraçou a causa da Independência do Brasil, ocorrida em 7 de setembro de 1822. No Brasil, exerceu as seguintes funções:

  • Comandante do 1º Corpo de Artilharia Montada da Corte (1825);
  • Professor de Matemática do 1º Corpo de Artilharia Montada da Corte;
  • Comandante da Companhia de Artilharia a Cavalo da Corte, Rio de Janeiro (26/08/1819);
  • Veador das Princesas, filhas de D. Pedro I (02/08/1840);
  • Diretor interino da Fábrica de Pólvora de Estrela (18/02/1841);
  • Vogal do Conselho Supremo Militar (1849);
  • Vogal e Conselheiro de Guerra (17/12/1855);
  • Comandante das Armas da Corte (25/01/1856).

Em 09/04/1831, ausentou-se do Brasil, acompanhando Dom Pedro I, e retornou em 18/06/1833.

Nomeado por Carta Imperial, tomou posse como Presidente da Província de Santa Catarina e governou de 14 de outubro de 1837 a 17 de agosto de 1839. Transmitiu o cargo para Francisco José de Sousa Soares de Andrea.

Em sua administração foram criadas as freguesias de São João Batista de Tijucas e a de Penha de Itapocorói. Como reflexo da Revolução Farroupilha (Guerra dos Farrapos), iniciada em 1835 na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul (atual Rio Grande do Sul/RS), eclodiu no sul da Província de Santa Catarina movimento que instituiu a República Juliana, proclamada em 29 de julho de 1839, e avançou para Lages, na serra catarinense. Consta que, por não ter conseguido conter os revolucionários, foi substituído.

Foi escolhido Deputado à Assembleia Legislativa Provincial de Santa Catarina para a 3ª Legislatura (1840-1841), mas não teve seu diploma reconhecido e não tomou posse.

Integrou o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.

Faleceu em 15 de março de 1857, no Rio de Janeiro/RJ.

Condecorações:

  • Comenda de Oficial Imperial Ordem do Cruzeiro (12/10/1828).
  • Hábito de Cavaleiro da Ordem de São Bento de Aviz (25/02/1829).
  • Cavaleiro da Ordem Rosa (1830).
Imagem - Assinatura de João Carlos Pardal
Fonte: CORRÊA, 1983, p. 237.

Mandatos

Referências

DISCURSO PRONUNCIADO NA ABERTURA DA ASSEMBLEA LEGISLATIVA DA PROVINCIA DE SANTA CATHARINA NA PRIMEIRA SESSÃO ORDINARIA DA SEGUNDA LEGISLATURA PROVINCIAL EM 1838 PELO RESPECTIVO PRESIDENTE, O BRIGADEIRO JOÃO CARLOS PARDAL, CIDADE DO DESTERRO EM O 1º DE MARÇO 1838. Desterro: Typ. Provincial, 1938. 42 p. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODY2MzA=>. Acesso em: 6 mar. 2017.

DISCURSO PRONUNCIADO NA ABERTURA DA ASSEMBLÉA LEGISLATIVA DA PROVINCIA DE SANTA CATHARINA NA SEGUNDA SESSÃO ORDINARIA DA SEGUNDA LEGISLATURA PROVINCIAL EM 1839 PELO RESPECTIVO PRESIDENTE, O BRIGADEIRO JOÃO CARLOS PARDAL. Desterro: Typ. Provincial, 1839. 26 p. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODY2NTE=>. Acesso em: 6 mar. 2017.

CORRÊA, Carlos Humberto Pederneiras. Os Governantes de Santa Catarina de 1739 a 1982. Florianópolis: Editora da UFSC, 1983. 356 p.

COSTA, Gustavo Marangoni. Entre contrabando e ambigüidades: Outros aspectos da Republica Juliana - Laguna/SC - 1836 - 1845. 2006. 167 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de História, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTUwMjM=>. Acesso em: 22 jun. 2018.

PIAZZA, Walter F. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994. 714 p.

PIAZZA, Walter F. O Poder Legislativo Catarinense: das suas raízes aos nossos dias 1834-1984. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984. 800 p.

SANTANA, Miriam Ilza. República Juliana. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMjEwMTI=>. Acesso em: 3 mai. 2017.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia João Carlos Pardal. 2019. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/1321-Joao_Carlos_Pardal>. Acesso em: 16 de julho de 2019.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2019)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2019)

Memória Política de Santa Catarina