José Lustosa da Cunha Paranaguá
José Lustosa da Cunha Paranaguá

Advogado e militar, natural de Nossa Senhora do Livramento/PI. Deputado na Assembleia Legislativa Provincial da Bahia e do Piauí, Deputado Geral e Senador pelo Piauí, Presidente das seguintes Províncias: Maranhão, Pernambuco, Bahia, Amazonas e Santa Catarina, no século XIX. Visconde e Marquês de Paranaguá.

Informações Gerais

Filiação
José da Cunha Lustosa e Inácia Antônia dos Reis Lustosa
Nascimento
21/08/1821
Local de nascimento
Nossa Senhora do Livramento/PI
Falecimento
09/02/1912
Formação
Direito
Profissão
Advogado e militar
Partido
Partido Liberal

José Lustosa da Cunha Paranaguá

Nasceu em 21 de agosto de 1821, na fazenda Brejo do Mocambo, na freguesia de Nossa Senhora do Livramento/PI. Filho de Inácia Antônia dos Reis Lustosa e de José da Cunha Lustosa, o segundo Marquês de Paranaguá. Neto do Capitão-mor José da Cunha Lustosa e de Helena Camargo de Sousa.

José, Visconde e Marquês de Paranaguá, realizou estudos na Bahia e bacharelou-se em Direito pela Faculdade de Direito de Olinda/PE, em 1846.

Foi Oficial da Guarda Nacional e, como Tenente-Coronel, participou ativamente da Guerra do Paraguai (1864-1870), comandando o 2° Corpo de Voluntários da Pátria, composto por 234 homens. Em 1866, comandou o 26º Batalhão da Guarda Nacional sediado em Santa Filomena, tornando-se, em 1883, Comandante Superior da Guarda Nacional das comarcas de Paranaguá, Bom Jesus e Santa Filomena, em substituição ao irmão, o Barão de Paraim.

Em 1888, casou com Mathilde Simonard e tiveram o filho Pedro Paranaguá.  A esposa era filha de Pedro Simonard e de Carolina Resse (filha do Barão de São Vitor).

Em aproximadamente quarenta anos envolvido na política, exerceu os cargos de:

  • Deputado na Assembleia Legislativa Provincial da Bahia, de 1848 a 1849;
  • Deputado Geral (hoje Deputado Federal) da Província do Piauí, de 1850 a 1852, de 1853 a 1856 e no ano de 1864;
  • Deputado na Assembleia Legislativa do Piauí, em dois períodos, entre os anos de 1857 a 1863;
  • Presidente da Província do Maranhão, de 1858 a 1859;
  • Presidente da Província de Pernambuco, de 1865 a 1866;
  • Presidente da Província da Bahia, de 1881 a 1882;
  • Presidente da Província do Amazonas, 17 de março de 1882 a 11 de março de 1884, em sua gestão iniciou as obras do Teatro Amazonas, em 1882;
  • Presidente da Província de Santa Catarina, de 9 de setembro de 1884 a 22 de junho de 1885, recebeu o cargo de Francisco Luís da Gama Rosa e transmitiu-o para Manoel Pinto de Lemos;
  • Senador pelo Piauí, de 1865 a 1884 e de 1885 a 1889;
  • Ministro nas pastas da Justiça, da Guerra, da Fazenda e dos Negócios Estrangeiros;
  • Conselheiro de Estado e Presidente do Conselho de Ministros (1882-1883).

Entre suas realizações no Piauí, está o projeto (de 1880) que permitiu a troca (permuta) de uma região do interior do Piauí com uma área litorânea do Ceará, tornando possível ao Piauí contar com uma saída para o mar.

No Amazonas, fez expedições e reuniu material para ser enviado à Exposição de Antropologia Nacional, no Rio de Janeiro, e incentivou na província a extinção da escravatura. No ano de 1885, alforriou escravos e manifestou-se pela abolição da escravatura no Amazonas, que ocorreu em 10 de julho de 1884, por Decreto do Presidente Theodureto Souto.

Presidiu a Sociedade Brasileira de Geografia e o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. 

Faleceu em 9 de fevereiro de 1912.

Homenagens e condecorações

  • Título de Conde de Paranaguá, concedido pela Santa Sé.
  • Título de Visconde, em 1882.
  • Cavaleiro da Imperial Ordem do Cruzeiro.
  • Homenagem em sessão solene do Congresso Nacional dos 100 anos de sua morte, em 2012.
  • Patrono da Cadeira 18 da Academia Piauiense de Letras (APL).
  • Ano Marquês de Paranaguá, promovido pela APL, em 2012.

Imagens

Retrato de José Lustosa da Cunha Paranaguá
Fonte: CORRÊA, 1983, p. 235.
 
Assinatura de José Lustosa da Cunha Paranaguá
Fonte: CORRÊA, 1983, p. 235.

Mandatos

  • Executivo/Estadual

    Governador

    Partido Liberal
    Presidente da Província de Santa Catarina
Referências

OS IRMÃOS LUSTOSA. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzg4NzI=>. Acesso em: 17 fev. 2018.

RELATORIO COM QUE AO EXM. SR. CORONEL MANOEL PINTO DE LEMOS, 1.O VICE PRESIDENTE, PASSOU A ADMINISTRAÇÃO DA PROVINCIA DE SANTA CATHARINA, O DR. JOSÉ LUSTOSA DA CUNHA PARANAGUÁ, EM 22 DE JUNHO DE 1885. Desterro: Typ. do Jornal do Commercio, 1885. 72 p. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzg4MzM=>. Acesso em: 17 fev. 2018.

ACADEMIA PIAUIENSE DE LETRAS. Cadeiras e Patronos. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzg4NTk=>. Acesso em: 17 fev. 2018.

BRASIL. Senado Federal. Senadores: Marquês de Paranaguá . Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzg4NDY=>. Acesso em: 17 fev. 2018.

CONTEÚDO ABERTO. IN: WIKIPÉDIA: A ENCICLOPÉDIA LIVRE. José Lustosa da Cunha Paranaguá. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzg4OTg=>. Acesso em: 17 fev. 2018.

CORRÊA, Carlos Humberto Pederneiras. Os Governantes de Santa Catarina de 1739 a 1982. Florianópolis: Editora da UFSC, 1983. 356 p.

GOMES, Cristiana. Guerra do Paraguai. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNDU1ODg=>. Acesso em: 9 ago. 2017.

MENDANHA, Soraya. Parlamentares destacam visão futurista do Marquês de Paranaguá. 2012. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzg4ODU=>. Acesso em: 17 fev. 2018.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia José Lustosa da Cunha Paranaguá. 2019. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/1221-Jose_Lustosa_da_Cunha_Paranagua>. Acesso em: 17 de setembro de 2019.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2019)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2019)

Memória Política de Santa Catarina