Francisco Manuel Raposo de Almeida
Francisco Manuel Raposo de Almeida

Professor, jornalista, tipógrafo, literato, escritor histórico e acadêmico luso-brasileiro. Deputado na Assembleia Legislativa Provincial de Santa Catarina, no século XIX.

Informações Gerais

Filiação
Antônio Raposo Tavares
Nascimento
15/08/1817
Local de nascimento
Açores/Portugal
Falecimento
17/03/1886
Local de falecimento
Taubaté/SP
Formação
Jornalista
Profissão
Professor, jornalista, tipógrafo, literato, escritor histórico e acadêmico, etc.

Francisco Manuel Raposo de Almeida

Nasceu em 15 de agosto de 1817, na freguesia de Nossa Senhora da Estrela do Rabo de Peixe, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Açores, Portugal. Filho de Antônio Raposo Tavares. Casou com Maria Teresa Salgado, tiveram o filho Antônio Raposo de Almeida e se separaram.

Em Lisboa/Portugal, com o auxílio do Visconde de Almeida Garrett, estudou no Colégio dos Nobres. De 1840 a 1841, cursou Matemática e Filosofia na Universidade de Coimbra.

No ano de 1844 foi preso e desterrado para Machico, na Ilha da Madeira, por seu envolvimento na revolta da “Maria da Fonte”. No final de 1846, embarcou de Açores para o Brasil e passou por várias Províncias (hoje Estados), dedicando-se à profissão de tipógrafo, ao magistério e aos escritos históricos, literários (vários gêneros), artísticos e acadêmicos, e à dramaturgia.

Fixou residência no Rio de Janeiro/RJ, onde comandou a redação da “Nova Gazeta dos Tribunais” até 1848. Ingressou no Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (1847).

Mais tarde mudou para Santos/SP e foi proprietário de tipografia que imprimia o jornal “O Mercantil” (entre 1850 e 1852), depois passou um período lecionando em Pindamonhangaba/SP (de 1853 a 1856).

No Rio de Janeiro, fundou “A Semana” (em 1856), em Niterói, e “A Tribuna Católica” e “O Brasil”, em 1857.

Transferiu-se para Desterro/SC (atual Florianópolis), a 27 de outubro de 1857, e foi professor particular. Em 22 de dezembro de 1857, naturalizou-se brasileiro. Em 1858, tornou-se professor de Geografia e História e de Filosofia Racional e Moral, no Liceu Provincial. Nos anos seguintes editou os periódicos “O Cruzeiro” (1860), “A Estrela” (1861) e “O Mercantil” (1862), desse último era ainda proprietário.

Na Capital catarinense, elegeu-se Deputado para a Assembleia Legislativa Provincial, com 18 votos, e participou da 13ª Legislatura (1860-1861).

Em 1863, na Bahia/BA, lecionou no Seminário Arquiepiscopal e editou “Brasil Católico”.

Em Pernambuco/PE, realizou pesquisas que resultaram na obra “História Nacional”, editou os jornais “O Mercantil” (entre 1866 e 1867) e “Oriente” (em 1867), e fundou o Instituto Histórico e Arqueológico de Goiana, com outros, em 1870.

Retornou à Pindamonhangaba e fundou o “Externato Raposo” (1873).

Além de jornalista, biógrafo e teatrólogo, foi membro do Conservatório Dramático do Rio de Janeiro e deixou vasta produção literária.

Faleceu em 17 de março de 1886, em Taubaté/SP.

Mandatos

Referências

Assembléa Legislativa Provincial. O Argos : Da Provincia de Santa Catharina. Desterro, 31 mar. 1860. n. 570, p.1, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTIyODA=>. Acesso em: 19 jun. 2016.

O Mercantil. O Mercantil: Jornal da Provincia de Sancta Catharina. Desterro, 17 ago. 1861. n. 68, p.1, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTIyNTc=>. Acesso em: 19 jun. 2016.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SANTA CATARINA. Centro de Memória. Arquivos das Legislaturas: de 1835 a 2018.

CAVALCANTI, Paulo. Eça de Queiroz: Agitador no Brasil. 4. ed. Recife, PE: Companhia Editora de Pernambuco, 2015. 335 p. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTI0MzQ=>. Acesso em: 19 jun. 2016.

CONTEÚDO ABERTO. IN: WIKIPÉDIA: A ENCICLOPÉDIA LIVRE. Francisco Manuel Raposo de Almeida. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTIyMjQ=>. Acesso em: 19 jun. 2016.

INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO BRASILEIRO. Necrológio de Francisco Manuel Raposo de Almeida: Ficha Catalográfica. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTIzMDk=>. Acesso em: 19 jun. 2016.

JESUS, Eduíno de. Enciclopédia Açoriana: Francisco Manuel Raposo de Almeida. 1997. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTIyMzc=>. Acesso em: 19 jun. 2016.

LITERATURA DIGITAL (Santa Catarina). Francisco Manuel Raposo de Almeida. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTIyOTY=>. Acesso em: 19 jun. 2016.

PIAZZA, Walter F. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994. 714 p.

PIAZZA, Walter F. O Poder Legislativo Catarinense: das suas raízes aos nossos dias 1834-1984. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984. 800 p.

PIAZZA, Walter F.. Roteiro de um jornalista Açoreano: estudo biobibliográfico. Boletim do Instituto Histórico da Ilha Terceira, Angra do Heroísmo, v. 13, n. 1, p.1-25, 1 jan. 1955. .. (Separata).

RILEY, Carlos Guilherme. A emigração açoriana para o Brasil no século XIX: braçais e intelectuais. Arquipélago: Revista da Universidade de Açores, Açores, v. 7, n. 2, p.143-172, 1 jan. 2003. .. Universidade dos Açores. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMjI3MjE=>. Acesso em: 19 jun. 2016.

STOETERAU, Lígia de Oliveira. A Trajetória do Poder Legislativo Catarinense.. Florianópolis: IOESC, 2000. 446 p.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia Francisco Manuel Raposo de Almeida. 2020. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/315-Francisco_Manuel_Raposo_de_Almeida>. Acesso em: 28 de novembro de 2020.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2020)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2020)

Memória Política de Santa Catarina