Plínio de Nês
Plínio de Nês

Pedagogo e empresário, natural de Encantado/RS. Prefeito e Vereador em Chapecó/SC. Deputado Estadual na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, no século XX. Secretário de Estado de Negócios do Oeste. Empresário ligado ao comércio de madeira e à agroindústria.

Informações Gerais

Nome completo
Plínio Arlindo de Nês
Filiação
David Pio de Nês e Emma Lucca de Nês
Nascimento
08/03/1921
Local de nascimento
Encantado/RS
Falecimento
07/02/1995
Local de falecimento
Chapecó/SC
Formação
Pedagogia
Profissão
Pedagogo e empresário
Partido
Partido Social Democrático (PSD) e Aliança Renovadora Nacional (ARENA).
Base Eleitoral
Oeste

Plínio de Nês

Nasceu em 8 de março de 1921, em Encantado/RS. Filho de David Pio de Nês e Emma Lucca de Nês.

Seu pai foi agricultor, carpinteiro, comerciante e servidor público. Sua mãe cuidava da casa e de uma loja de secos e molhados, vendia desde fumo até material elétrico, camas e automóveis Chevrolet.

Plínio estudou no Colégio Marista da Imaculada Conceição (1932), em Guaporé/RS, e em Lajeado/RS, onde aprendeu alemão, inglês e tomou as primeiras lições de economia no curso de Guarda-Livros (nesta profissão poderia assinar balanços e fazer escrita de firmas). Cursou o ginasial no Colégio São Luiz/RS.

Frequentou o primeiro ano da faculdade de Ciência Política e Econômica, em Porto Alegre/RS, mas desistiu por falta de recursos. Bacharelou-se em Pedagogia pela Faculdade de Ciências da Educação da Fundação de Ensino do Desenvolvimento do Oeste (FUNDESTE).

Na terra natal, foi proprietário e gerente da Rádio Garantia (1940-1941).

Casou com Ilma Rosa Migliorinini de Nês, com quem teve Plínio Arlindo de Nês Filho.

Com 21 anos de idade, mudou para o Estado de Santa Catarina, onde desenvolveu várias atividades e ocupou cargos importantes:

  • Chefe da empresa Migliorini e Cilier (1942-1944), em Faxinal dos Guedes/SC;
  • Gerente-Proprietário da Madeireira Itaoeste (1943-1951);
  • Diretor de frigorífico em 1952, por convite do bancário Nadir Dutra Sales, de Serafim Bertaso e Paulo Pasquali;
  • Fundou a Sociedade Anônima Indústria e Comércio Chapecó (SAIC), em 1952, que, mais tarde, passou para Organizações Chapecó, e foi seu Presidente até 1988. A empresa fechou suas portas em 1995;
  • Fundou e foi o primeiro Presidente da Cooperativa de Consumo Chapecó Ltda. (1960);
  • Presidente da Fundação Hospitalar e Assistencial Santo Antonio (1960-1962);
  • Secretário de Estado de Negócios do Oeste (1969-1975);
  • Fundou e presidiu a Sociedade Ginásio de Chapecó;
  • Coordenou e presidiu a Comissão de Estabelecimento da FUNDESTE (1970);
  • Presidiu o Conselho Deliberativo da FUNDESTE (1972-1982);
  • Ingressou no curso de  Pedagogia, por vestibular FUNDESTE (1972);
  • Integrou o Conselho Fiscal da Sadia Avícola Sociedade Anônima (1976-1977);
  • Presidiu o Banco de Desenvolvimento do Estado de Santa Catarina (BADESC) (1976-1979);
  • Presidiu o Conselho de Administração da Chapecó Avícola Sociedade Anônima (1976-1991);
  • Sócio-Gerente da Cachoeirinha Agropecuária Ltda. (1979-1990);
  • Presidiu o Sindicato das Indústrias de Carnes e Derivados de Santa Catarina (SINDICARNE), em 1981 e 1982;
  • Presidiu o Conselho de Administração da Chapecó Alimentos (1988-1991).

Empresário ligado ao comércio de madeira e à agroindústria, contribuiu muito para o desenvolvimento econômico da região.

Em Chapecó foi eleito e exerceu funções de Vereador (1946-1955) e de Prefeito (1956-1960).

Nas eleições de 1962, candidatou-se a uma das vagas de Deputado Estadual à Assembleia Legislativa de Santa Catarina, pelo Partido Social Democrático (PSD), com 4.991 votos, ficou na posição de segundo Suplente, foi convocado e integrou a Legislatura (1963-1967).

Criou o Atlético Clube Chapecó, que, mais tarde, passou a se denominar Associação Chapecoense de Futebol.

Foi presidente de honra da Associação Chapecoense de Futebol e do Clube Recreativo Chapecoense e um dos principais incentivadores do kartismo e do voleibol em Chapecó, além de ter participado de competições automobilísticas na década de 60 e pilotado aviões em seus constantes deslocamentos pela região e pelo Estado.

Faleceu em 7 de fevereiro de 1995, em Chapecó/SC.

Homenagens e condecorações

  • Rodovia Plínio Arlindo de Nês. Trecho Rodoviário da BR-480, entre o entroncamento com a BR-282 e o acesso à cidade de Chapecó.
  • Avenida Plínio Arlindo de Nês, Centro, Xaxim/SC.
  • Rua Plínio Arlindo de Nês, Cristo Rei, Chapecó.
  • Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nês, localizado na Rua Assis Brasil, Centro, Chapecó.
  • Fundação Plínio Arlindo De Nês. Criada em 20 de abril de 1963.
  • Medalha do Mérito Anita Garibaldi, do Estado de Santa Catarina.
  • Comenda do Congresso Nacional.
  • Homenagem da Avicultura Catarinense (1983), pela Associação Catarinense de Avicultura.
  • Troféu do Mérito Avícola Nacional, pela União Brasileira de Avicultura (1989).
  • Título de Cidadão Catarinense de 1990, pela Assembleia Legislativa (1991).
  • Comenda da Ordem do Mérito Industrial Brasileiro (1993), concedida pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).
  • Homenagem da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC).
  • Homenagem de Gratidão, do Colégio São Francisco, de Chapecó.
  • Colaborador Emérito da Associação Chapecoense de Futebol.
  • Sócio Honorário dos Clubes de Serviço 4-S e do Júnior Kart Clube.
  • Homenagem “O Desbravador" (1981), na inauguração em Chapecó do monumento que retrata os pioneiros.
  • Troféu Amigo da Comunidade (1983), pela Rede Brasil Sul de Comunicações (RBS).
  • Título de “Cidadão Beltronense”, pelo município paranaense de Francisco Beltrão (1983).
  • Medalha Amigo da Polícia Militar de Santa Catarina (1983).
  • Troféu Expoarte (1983), homenagem como fundador da FUNDESTE.
  • Mérito Desportivo de Chapecó (1983).
  • “Destaque Esportivo de Santa Catarina”, pelo jornal A Notícia (1985).
  • Diploma de Honra da Fundação Hospitalar e Assistencial Santo Antônio, de Chapecó (1989).
  • Homenagem Especial da Câmara Júnior do Brasil, em 1990.
  • Título de “Cidadão Honorário” dos municípios catarinenses de: São Carlos, Maravilha, Abelardo Luz, Palma Sola, Palmitos, Xaxim e São Lourenço do Oeste.
  • Troféu “Os Pioneiros”, pela revista Expressão, BESC e Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), em 1992.
  • Homenagem Especial da Universidade do Oeste, Campus de Chapecó, pela ação como pioneiro do ensino superior no Oeste de Santa Catarina (1993).
  • Homenagem na Assembleia Legislativa catarinense, in memoriam, pela legislatura exercida, em 1999.
  • Homenagem na Assembleia Legislativa catarinense, in memoriam, em 2012, pelo apoio à FUNDESTE.
  • Homenagem pela contribuição à Associação Chapecoense de Futebol, in memoriam, na Assembleia Legislativa catarinense, em 2013.

Imagens

Foto - Plínio Arlindo de Nês
Fonte: Reprodução / SIMON, Adalberto Nagel.
 
Retrato de Plínio Arlindo de Nês
 
Foto - Solenidade de nomeação de Plínio Arlindo de Nês (assinando o documento) para o cargo de Secretário de Estado da Secretaria dos Negócios do Oeste, 1969
Fonte: Reprodução/Acervo Digital do CEOM.
 
Foto - Diretoria das Organizações Chapecó (1983), que tiveram início com a fundação da S.A. Indústria e Comércio Chapecó (1952). Plínio Arlindo de Nês é o segundo sentado da direita para a esquerda
Fonte: Reprodução / SIMON, Adalberto Nagel.
 
Placa em Homenagem a Plínio Arlindo de Nês, Patrono da 36º Convenção Nacional de Câmaras Júnior do Brasil, pela Câmara Júnior do Brasil, Câmara Júnior de Chapecó, SC, em 13 de outubro de 1990
Fonte: Reprodução/Ceom/Unochapecó
 
Foto - Monumento de bronze pelos 100 anos de Chapecó, que homenageia três pioneiros do município: Plínio Arlindo de Nês, Ernesto Bertaso e Aury Luiz Bodanese. Está instalado na Avenida Getúlio Vargas, no Centro de Chapecó