José Ramos da Silva Júnior
José Ramos da Silva Júnior

Militar, professor e jornalista, natural de Desterro/SC. Deputado na Assembleia Legislativa Provincial de Santa Catarina, por duas vezes, no século XIX.

Informações Gerais

Filiação
José Ramos da Silva e Maria Adelaide Ramos
Nascimento
04/07/1848
Local de nascimento
Desterro/SC
Falecimento
19/02/1907
Local de falecimento
Rio de Janeiro/RJ
Profissão
Militar, professor e jornalista
Partido
Partido Conservador

José Ramos da Silva Júnior

Nasceu em 4 de julho de 1848, em Desterro/SC (atual Florianópolis). Filho de José da Silva Ramos e Maria Adelaide Ramos.

Casou Mariana Cândida da Natividade e tiveram os filhos Sara Celestina Ramos e Tito Lívio de Oliveira Ramos. A esposa era filha de Domingos Joaquim da Natividade. Sara casou com Guilherme Lopes Ângelo.

Cursou Humanidades no Liceu Provincial, na terra natal. Iniciou a carreira profissional como professor, em janeiro de 1865. Lecionou aulas particulares de instrução primária (1867) e também gratuitamente para filhos de oficiais mortos em combate. Professor de escolas de estudos secundários em Laguna (1869) e Desterro, transferido em 10 de abril de 1872, por conta da morte de Antônio de Sousa Fagundes.

Recebeu as promoções militares de: Oficial-Maior (10 de abril de 1872), atuando na Secretaria da Assembleia Legislativa de Santa Catarina; Alferes-Secretário (22 de novembro de 1872), trabalhando no 1º Corpo de Cavalaria da Guarda Nacional do Desterro; e Tenente (23 de janeiro de 1873), servindo na 4ª Companhia, da mesma Cavalaria.

Como Jornalista redigiu pra os periódicos desterrenses: “O Conciliador” (1872), “O Conservador” (1873-1878) e “Correio da Tarde” (1884).

Pelo Partido Conservador foi eleito Deputado à Assembleia Legislativa Provincial de Santa Catarina, participou da 20ª Legislatura (1874-1875), integrando a Mesa Diretora da Casa, na função de 1º Secretário no biênio, e da 22ª Legislatura (1878-1879), eleito com 188 votos. 

Inspetor da Alfândega de Santa Catarina (nomeado em 10 de julho de 1874), e Inspetor Geral da Diretoria da Instrução Pública do Desterro (em 3 de junho de 1875).

Exerceu ainda outras funções: bibliotecário da Biblioteca Pública da Província de Santa Catarina (1875); Presidente da Comissão de Polícia do Desterro (1875); Provedor da Irmandade do Divino Espírito Santo (1875); Membro do Conselho Geral da Instrução Pública do Desterro (1877-1878); Diretor do Colégio Ramos, fundado em 1879.

Fez parte das comemorações em homenagem ao sexagésimo aniversário da Independência do Brasil (1882), em Desterro, organizada por comissão geral que contava com muitas pessoas, entre intelectuais e políticos. No grupo dos oradores, estavam José Ramos da Silva Júnior, João da Cruz e Sousa, José Delfino dos Santos, Eduardo Nunes Pires, Eufrásio José da Cunha, entre outros.

Exerceu a vereança por dois mandatos na Câmara de Desterro (1883-1886 e 1889-1900).

Integrou o Clube Abolicionista (1884) e o Conselho Administrativo da Irmandade da Nossa Senhora das Dores, em Desterro (1884-1885).

Nomeado Delegado de Polícia da Capital da Província (1885), novamente Inspetor da Tesouraria da Fazenda de Santa Catarina, a partir de 14 de agosto de 1886, nesse mesmo ano foi professor de História e Geografia, no Instituto Literário e Normal.

Inspetor da Alfândega da Bahia/BA, designado em 19 de agosto de 1891.

Presidiu a Comissão Permanente do Centro Catarinense da Capital Federal que, à época, era no Rio de Janeiro/RJ (1900), dirigiu a Recebedoria da Fazenda e foi Secretário do Ministério da Fazenda (1906).

Faleceu em 19 de fevereiro de 1907, no Rio de Janeiro /RJ.

Condecoração

Cavaleiro da Ordem da Rosa, pelos serviços prestados com a publicação de um trabalho sobre os impostos provinciais.

Mandatos

Referências

Abolicionismo. A Regeneração: Orgam Democrático. Desterro, 8 abr. 1884. p.3, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTc2ODc=>. Acesso em: 20 out. 2017.

Chronologia Histórica Brasileira: Excerptos de Rodolpho Baptista de Araujo. O Estado: Diário Vespertino. Florianópolis, 26 fev. 1921. p.2, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTc1NDk=>. Acesso em: 20 out. 2017.

Colégio Ramos: Fundado em 1870. Conservador: Orgão do Partido. Desterro, 8 dez. 1884. Annuncios Especiais, p.3, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTc2NjQ=>. Acesso em: 20 out. 2017.

Desterro, 11 de outubro de 1877: Chapa conservadora. Gazeta do Joinville. Joinville -SC, 23 out. 1877. CORRESPONDENCIAS, p.15, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTc1MDM=>. Acesso em: 20 out. 2017.

Desterro: expediente do Governo. Gazeta do Joinville. Joinville -SC, 15 abr. 1879. p.2, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTc1MjY=>. Acesso em: 20 out. 2017.

Governo do Estado. República. Florianópolis, 22 jan. 1896. Parte Official, p.1-2, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTc0ODA=>. Acesso em: 20 out. 2017.

Protesto do partido Conservador. O Despertador. Desterro, 19 dez. 1868. p.3, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTY5NDc=>. Acesso em: 20 out. 2017.

Requerimentos despachados: dia 4. República: Orgam Official. Desterro, 6 dez. 1889. p.1, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTc2NDE=>. Acesso em: 20 out. 2017.

Salão Azul. O Dia: Orgam do Partido Republicano Catharinense. Florianópolis, 2 jul. 1906. p.1, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTc1OTU=>. Acesso em: 20 out. 2017.

Secretaria do Governo: Expediente do 17 de março de 1874. O Conservador: Jornal Politico, Noticioso e Commercial. Desterro, 23 mar. 1874. p.1, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTc2MTg=>. Acesso em: 20 out. 2017.

ALVES, Uelington Farias. Cruz e Sousa: Dante negro do Brasil. Florianópolis: Pallas Editora, 2015. 416 p.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SANTA CATARINA. Centro de Memória. Arquivos das Legislaturas: de 1835 a 2018.

IRMANDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO. Galeria de Ex-Provedores 1773/2016. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTc3MDM=>. Acesso em: 20 out. 2017.

MARCILIO, Elaine Cristina. A Ação da Inspetoria Geral da Instrução Pública na Província de Santa Catarina no período de 1874 a 1888: a precariedade da inspeção escolar como instrumento para a uniformização do ensino. 2006. 271 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-Graduação em Educação, , Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTc0Mzc=>. Acesso em: 20 out. 2017.

OS AMANTES DA INSTRUCÇÃO. Illm. Sr. Redactor. O Mercantil: Folha Politica Commercial e Noticiosa. Cidade do Desterro, 20 dez. 1866. p.3, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTc1NzI=>. Acesso em: 20 out. 2017.

PIAZZA, Walter F. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994. 714 p.

PIAZZA, Walter F. O Poder Legislativo Catarinense: das suas raízes aos nossos dias 1834-1984. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984. 800 p.

SOUZA, Luiz Alberto de. A cor e a forma: História e literatura na obra do jovem Cruz e Sousa (1861-1888) . 2012. 370 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de História, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTU5Njc=>. Acesso em: 31 jul. 2017.

STOETERAU, Lígia de Oliveira. A Trajetória do Poder Legislativo Catarinense.. Florianópolis: IOESC, 2000. 446 p.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia José Ramos da Silva Júnior. 2020. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/577-Jose_Ramos_da_Silva_Junior>. Acesso em: 28 de fevereiro de 2021.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2020)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2020)

Memória Política de Santa Catarina