Primeira República

Em 15 de novembro de 1889, um movimento militar destronou o imperador D. Pedro II, dando origem à Primeira República, também conhecida como República Velha. O período entre a Proclamação da República e a Revolução de 1930 foi dividido em dois momentos: a República da Espada e a República Oligárquica. Na República da Espada, até 1894, o país foi governado por dois presidentes militares: os marechais Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. Floriano ficou conhecido como o Marechal de Ferro, principalmente pela forma como reprimiu a Revolta Federalista no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Mandou fuzilar os adversários na Ilha de Anhatomirim, na capital catarinense, então chamada Desterro, e, depois, para mostrar autoridade e poder, decretou a mudança do nome da cidade para Florianópolis, ou cidade de Floriano. Na oposição a Floriano estavam as novas figuras da elite econômica que desejavam ampliar o poder por meio de um regime com maior autonomia às esferas regionais. Com a nova eleição para presidente, em setembro de 1893, o marechal não conseguiu fazer um sucessor, sendo eleito Prudente de Morais, o primeiro presidente brasileiro eleito de forma direta. Era o início da República Oligárquica, que durou até 1930 e se caracterizou por dar maior poder para as elites regionais, em especial do sul e sudeste do país.

Destaques

Nenhuma publicação disponível.
Memória Política de Santa Catarina