Manoel Tomás Vieira - Major Vieira
Manoel Tomás Vieira - Major Vieira

Militar, fazendeiro e comerciante, natural de Araucária/PR. Prefeito e Vereador de Canoinhas/SC e Deputado Estadual no Parlamento Catarinense, século XX. O nome do município catarinense “Major Vieira” é em sua homenagem.

Informações Gerais

Nome completo
Manoel Thomás Vieira
Ano nascimento
1859
Local de nascimento
Araucária/PR
Falecimento
03/06/1927
Local de falecimento
Canoinhas/SC.
Formação
Militar
Profissão
Militar, fazendeiro e comerciante
Partido
Partido Republicano Catarinense (PRC)

Manoel Tomás Vieira - Major Vieira

Nasceu em 1859, em Barigui de Cima, em Araucária/PR.

Nomeado Juiz de Paz (1908) no distrito de Curitibanos/SC. 

Como militar obteve as patentes de Capitão, Major e Coronel do Exército.

Foi comerciante, fazendeiro e ervateiro. Administrava uma grande área de terras que pertencia ao Estado e ficava na localidade onde hoje está a cidade que leva seu nome (Major Vieira/SC). Na época essa área era chamada de Campina dos Santos e, antes de se tornar município, chamava-se Colônia Vieira.

Era compadre, afiliado político e principal cabo eleitoral do Coronel Francisco Ferreira de Albuquerque, Superintendente (atual cargo de Prefeito) de Curitibanos, de 1907-1913. Relações que influenciaram na emancipação do distrito de Santa Cruz de Canoinhas (hoje Canoinhas/SC), na época pertencia a Curitibanos. 

Manoel foi o fundador e organizador de Santa Cruz de Canoinhas (1911), e seu primeiro Superintendente (Prefeito), de 6 de dezembro de 1911 a 25 de julho de 1918. Tornou-se Comandante da Guarda Nacional local e desempenhou importante papel na delimitação do território do município. 

Em sua administração, eclodiu na região de Canoinhas a Guerra do Contestado (1912-1916), gerada por diversos fatores (sociais, políticos, econômicos e messiânicos). Canoinhas foi envolvida no conflito, principalmente em 1914 e 1915, quando várias vezes a vila e povoados do interior foram atacados pelos revoltosos, tendo recebido mais de 2.000 soldados na disputa do território entre Paraná e Santa Catarina. 

A população, líderes e pessoas influentes reagiram aos ataques em luta armada e o Prefeito Manoel contava com pequeno grupo do Regimento de Segurança de Santa Catarina, uma unidade de soldados do 16º Batalhão de Infantaria do Exército e grande número de civis para resistir à investida. O primeiro ataque a vila aconteceu na noite de 14 para 15 de julho de 1914. 

Após o segundo ataque à vila, dia 17 de julho de 1914, Tomás Vieira fugiu. Diante dos acontecimentos a vila transformou-se numa praça de guerra e restaram muitos mortos. Depois do conflito, Canoinhas se desenvolveu e o município teve sua economia reativada pelo extrativismo vegetal da erva-mate e madeira. Somente em 20 de outubro de 1916, o acordo entre os dois Estados foi assinado e o município foi incorporado ao território catarinense.

Foi coproprietário da tipografia Viera & Terrens, em 1918, Presidente do Clube União Recreativa de Canoinhas (1915) e doou patrimônio particular, oito lotes urbanos, para a construção da Igreja Matriz Cristo Rei, no Centro da cidade. 

Eleito Deputado Estadual ao Congresso Representativo de Santa Catarina (Assembleia Legislativa), com 2.120 votos, tomou posse à 10ª Legislatura (1916-1918). Para mesma legislatura foi eleito seu compadre, Francisco Ferreira de Albuquerque.

Em Canoinhas foi eleito Suplente de Vereador (1919) e Vice-Presidente do Conselho Municipal (1924-1926). 

Faleceu em 3 de junho de 1927, em Canoinhas/SC.

Homenagens

  • Município catarinense denominado Major Vieira, criado pela Lei Estadual N. 663, de 23 de dezembro de 1960, desmembrado de Canoinhas e instalado em 23 de janeiro de 1961.
  • Rua Major Vieira, Centro, Canoinhas.
  • Recebeu do Parlamento catarinense, in memoriam, o Troféu Assembleia Legislativa, durante homenagem aos 90 anos de emancipação político-administrativa de Canoinhas, em sessão solene, no ano de 2001.

Imagem

Foto - Grupo de autoridades em Santa Cruz de Canoinhas, poucos dias antes do ataque dos guerrilheiros (1914). Tomás Vieira é o sétimo da direita para a esquerda
Fonte: Reprodução/STAFIN.

Mandatos

Referências

Declarações importantes: Na zona contestada - O que pensam o coronel Vieira e o o capitão Aleixo. Gazeta do Commercio. Joinville, 10 jan. 1914. n. 3, p.2, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODgyNTk=>. Acesso em: 6 nov. 2017.

Municipio de Canoinhas. A Noticia. Joinville, 20 dez. 1936. n. 2470, p.33, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODgyMTM=>. Acesso em: 30 mai. 2019.

Municipio de Canoinhas: Historia. O Estado: Jornal independente e de maior circulação de Santa Catharina. Florianopolis, 13 out. 1922. n. 2495, p.3, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODgyMzY=>. Acesso em: 30 mai. 2019.

CORREIO DO NORTE: Canoinhas 100 Anos. Canoinhas, SC, 12 set. 2011. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNDM1NTc=>. Acesso em: 25 out. 2018.

BRANDT, Marlon. Uso comum e a apropriação da terra no município de Fraiburgo-SC: do Contestado à Colonização. 2007. 313 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Geografia, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMzY5MDQ=>. Acesso em: 1 ago. 2017.

GUIA MAIS. Major Vieira. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODgxNjc=>. Acesso em: 30 mai. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Canoinhas: Santa Catarina . Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODgxNTQ=>. Acesso em: 30 mai. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Major Vieira Santa Catarina - SC: Santa Catarina - SC. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODgxNDE=>. Acesso em: 30 mai. 2019.

LICKFELD, Wieland. Canoinhas: Almanak Laemmert - 1918 - Parte II: Repartições e serviços federaes. 2014. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODgxMDc=>. Acesso em: 30 mai. 2019.

PIAZZA, Walter F. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994. 714 p.

PIAZZA, Walter F. O Poder Legislativo Catarinense: das suas raízes aos nossos dias 1834-1984. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984. 800 p.

Prefeitura Municipal de Canoinhas. Ex-Prefeitos. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNTA1NjQ=>. Acesso em: 5 set. 2016.

Prefeitura Municipal de Curitibanos. História: Curitibanos de vitórias. 2013. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODgwOTQ=>. Acesso em: 6 nov. 2017.

SANTA CATARINA. Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Diário da Assembleia: Nº 4.898. 2001. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNDU1NDk=>. Acesso em: 31 out. 2018.

SANTANA, Miriam Ilza. Guerra do Contestado. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNTE0MzY=>. Acesso em: 10 fev. 2017.

STOETERAU, Lígia de Oliveira. A Trajetória do Poder Legislativo Catarinense.. Florianópolis: IOESC, 2000. 446 p.

TOKARSKI, Fernando. Historia do Município de Canoinhas – Santa Catarina. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODgxODA=>. Acesso em: 30 mai. 2019.

TONON, Eloy. Ecos do Contestado: rebeldia sertaneja. Palmas, PR: Kaygangue Gráfica e Editora, 2002. 101 p.

TVBRASIL. Vídeo - Contestado: Uma Guerra Esquecida - Caminhos da Reportagem. 2014. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNTE0MDA=>. Acesso em: 2 out. 2017.

VIEIRA, Manoel Thomaz. Tribuna Livre: Protesto. Republica: Orgão do Partido Republicano Catharinense. Florianopolis, 31 out. 1918. n. 28, p.3, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODgyODI=>. Acesso em: 30 mai. 2019.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia Manoel Tomás Vieira - Major Vieira. 2022. Disponível em: <https://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/680-Manoel_Tomas_Vieira_Major_Vieira>. Acesso em: 01 de dezembro de 2022.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2022)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2022)

Memória Política de Santa Catarina