Celso Ramos Filho
Celso Ramos Filho

Engenheiro civil e professor, natural de Lages/SC. Deputado Constituinte de 1967 e Deputado Estadual na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, no século XX. No mesmo Estado, foi Secretário da Viação e Obras Públicas e Conselheiro do Tribunal de Contas.

Informações Gerais

Filiação
Celso Ramos e Edith Müller de Albuquerque Gama Ramos
Nascimento
16/12/1924
Local de nascimento
Lages/SC
Falecimento
05/10/2016
Local de falecimento
Florianópolis/SC
Formação
Engenharia Civil
Profissão
Engenheiro civil e professor
Partido
Aliança Renovadora Nacional (ARENA)

Celso Ramos Filho

Nasceu em 16 de dezembro de 1924, em Lages/SC. Filho de Edith Müller de Albuquerque Gama Ramos e de Celso Ramos.

Seu pai foi Governador de Santa Catarina (1961-1966) e Senador da República representando os catarinenses (1967-1974). Seu avô paterno, Vidal Ramos, foi Prefeito de Lages, Deputado Provincial e Estadual na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, Governador do mesmo Estado, Deputado Federal e Senador.

Celso teve tios envolvidos na política municipal, estadual e federal: Nereu Ramos, Hugo Ramos, Mauro Ramos, Vidal Ramos Júnior e Joaquim Fiúza Ramos; além de primos, como Aderbal Ramos.

Em 1940, Celso concluiu o curso ginasial no Colégio Catarinense, em Florianópolis/SC. Depois cursou Engenharia Civil, formou-se e exerceu a profissão durante muitos anos.

Casou com a professora Maria Júlia Medeiros e tiveram os filhos: Luiz Gonzaga, Clisse, Marcelo e Márcio, todos “Medeiros Ramos”, e Celso Ramos Neto.

No Estado de Santa Catarina desenvolveu várias atividades profissionais e ocupou cargos e funções importantes:

  • Criou a engenharia ENARCO e foi titular da empresa;
  • construiu a ala nova da Maternidade Carlos Corrêa, em Florianópolis;
  • construiu a Maternidade-Hospital de Tijucas/SC;
  • construiu o Hospital Naval e a residência do Comando do 5º Distrito Naval, em Florianópolis;
  • construiu 100 casas populares nos municípios catarinenses de Laguna e Itajaí, além de centenas de residências e prédios em Santa Catarina;
  • presidiu o Conselho Rodoviário, o Conselho do Departamento Autônomo de Engenharia Sanitária (DAES), hoje Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (CASAN), e o DEOS (Saneamento);
  • fundou o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Santa Catarina (CREA-SC) e foi seu primeiro presidente (1958-1975);
  • presidiu a Associação Catarinense de Engenheiros (ACE);
  • membro do Conselho de Plano de Metas do Governo (PLAMEG), criado na gestão de seu pai;
  • membro do Conselho do Banco do Estado de Santa Catarina (BESC);
  • membro da Comissão Interestadual dos rios Paraná e Uruguai;
  • membro do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina;
  • presidiu o Avaí Futebol Clube, de 1954 a 1957; e
  • presidiu o Clube Náutico Riachuelo, tendo conquistado quatro títulos de Campeão.

Foi Professor efetivo da Escola Técnica Federal de Santa Catarina, por 22 anos.

Comandou a Secretaria Estadual da Viação e Obras Públicas, por quatro anos - no governo de seu pai, e foi responsável por construir a ligação catarinense de São Bento do Sul a Corupá, aproximando a região do Alto Rio Negro ao Porto de São Francisco do Sul.

Pela Aliança Renovadora Nacional (ARENA), duas vezes elegeu-se Deputado Estadual à Assembleia Legislativa de Santa Catarina, para a:

  • Legislatura (1967-1971), com 7.596 votos recebidos, tomou posse e foi Deputado Constituinte Estadual de 1967;
  • Legislatura (1971-1975), obteve 16.291 votos, o terceiro mais votado de seu partido, tomou posse e renunciou ao cargo.

No Parlamento Estadual, criou e presidiu a Comissão de Ciência e Tecnologia, presidiu a Comissão de Finanças e foi relator do Orçamento e das Contas do Estado de Santa Catarina, por 4 anos.

Inspirou a criação do Ministério de Ciência e Tecnologia, ideia aprovada no Congresso da União Parlamentar Interestadual (UPI).

Assumiu como Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) em 27 de setembro de 1973 e permaneceu na função até 21 de março de 1979, quando se aposentou.

Faleceu em 5 de outubro de 2016, em Florianópolis/SC. Está sepultado no Cemitério São Francisco de Assis, no Itacorubi.

Obras

  • Coxilha Rica: Genealogia da Família Ramos. Florianópolis: Insular, 2002, 416p.
  • Jóias do Pensamento Humano.
  • Cândido de Oliveira Ramos - Biografia.

Homenagens (entre tantas recebidas)

  • Escola de Educação Básica Celso Ramos Filho, São Bento do Sul/SC.
  • Cidadão Honorário de Florianópolis, concedido em 1997.
  • Recebeu da Assembleia Legislativa catarinense homenagem pelas legislaturas exercidas, em 1999.

Imagem

Foto - Celso Ramos Filho
Fonte: Arquivo Pessoal/Divulgação/ND.

Mandatos

Referências

ALESC. Constituição Estadual de 1967. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMjkzNjM=>. Acesso em: 16 mar. 2017.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SANTA CATARINA. Coordenadoria de Informações. Fichas Datilografadas/Digitalizadas das Legislaturas: de 1945 a 2018.

AVAÍ. Morre Celso Ramos Filho Ex-presidente do clube. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNjQ4MjI=>. Acesso em: 6 dez. 2017.

CONTEÚDO ABERTO. IN: WIKIPÉDIA: A ENCICLOPÉDIA LIVRE. Celso Ramos Filho. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNjQ4NjE=>. Acesso em: 6 dez. 2017.

CREA-SC. Ex-Presidentes. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNjQ3OTY=>. Acesso em: 6 dez. 2017.

ESCOL.AS. EEB Celso Ramos Filho. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNjQ4NDg=>. Acesso em: 6 dez. 2017.

NOTÍCIAS DO DIA. Engenheiro Celso Ramos Filho morre aos 92 anos em Florianópolis. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNjQ4MzU=>. Acesso em: 6 dez. 2017.

PIAZZA, Walter F. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994. 714 p.

PIAZZA, Walter F. O Poder Legislativo Catarinense: das suas raízes aos nossos dias 1834-1984. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984. 800 p.

SANTA CATARINA. Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Diário da Assembleia: n° 4.683. 1999. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMzE3MQ==>. Acesso em: 15 mai. 2018.

STOETERAU, Lígia de Oliveira. A Trajetória do Poder Legislativo Catarinense.. Florianópolis: IOESC, 2000. 446 p.

TCE-SC. Celso Ramos Filho. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNjQ4MDk=>. Acesso em: 6 dez. 2017.

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL. Resenha Eleitoral - Eleições Catarinenses 1945-1998. 2001. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNjI2OQ==>. Acesso em: 30 nov. 2017.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia Celso Ramos Filho. 2019. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/182-Celso_Ramos_Filho>. Acesso em: 17 de setembro de 2019.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2019)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2019)

Memória Política de Santa Catarina