Aderbal Ramos
Aderbal Ramos

Advogado, jornalista e banqueiro, natural de Florianópolis/SC. Deputado Estadual na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, Deputado Federal, por dois mandatos, e Governador do Estado de Santa Catarina, no século XX.

Informações Gerais

Nome completo
Aderbal Ramos da Silva
Filiação
João Pedro Ramos da Silva e Raquel Ramos da Silva
Nascimento
18/01/1911
Local de nascimento
Florianópolis/SC
Falecimento
13/02/1985
Local de falecimento
Florianópolis/SC
Formação
Direito
Profissão
Advogado
Partido
PLC (Partido Liberal Catarinense) e PSD (Partido Social Democrático).

Aderbal Ramos

Nasceu em 18 de janeiro de 1911, em Florianópolis/SC. Filho do Desembargador João Pedro Ramos da Silva e Raquel Ramos da Silva. Sua mãe era a filha mais velha de Vidal José de Oliveira Ramos (seu avô materno), patriarca da família Ramos, foi Deputado Provincial no Império, Governador de 1902 a 1905 e de 1910 a 1914, Deputado Federal e Senador, todos os cargos representando Santa Catarina (SC).

O tio, Nereu Ramos, foi Deputado Federal, Senador, Governador eleito indiretamente pela Assembléia Legislativa (1935 a 1937), Interventor em Santa Catarina, nomeado pelo governo federal (1937-1945), Vice-Presidente da República, entre 1946 a 1951, e Presidente do Brasil (1955-1956). Joaquim Ramos, seu tio, foi Deputado Federal (1947-1971). Outro tio, Celso Ramos, também foi Governador (1961-1966) e Senador por SC (1967-1975). O primo de Aderbal, Hugo Ramos Filho, foi Senador pelo Estado do Rio de Janeiro, de 1978 a 1983.

Outros membros da família tiveram destaque na política: Saulo Ramos, Deputado Federal (1951-1955) e Senador (1955-1963); Aristiliano Ramos, Interventor Federal no Estado Santa Catarina (1933-1935); e Cândido de Oliveira Ramos, Interventor (1932), Senador (1935) e Deputado Federal (entre 1935 e 1937).

Aderbal Ramos foi casado com Ruth Hoepcke, com quem teve duas filhas, Anita Hoepcke da Silva e Silvia Hoepcke da Silva.

Foto - Aderbal Ramos com esposa e filhas

Fonte: https://ndonline.com.br/florianopolis/noticias/assembleia-homenageia-aderbal-ramos-da-silva
Fonte: Reprodução/Notícias do Dia (2011).

Vida

Aderbal Ramos iniciou a formação estudantil no Colégio Catarinense, onde concluiu o Curso de Humanidades (atual ensino médio), lecionado por jesuítas. Continuou os estudos no Curso de Direito, Universidade do Brasil, na cidade do Rio de Janeiro  (capital brasileira), bacharelando-se em Ciências Jurídicas e Sociais, em 1932.

Retornou a Santa Catarina e iniciou a carreira política por influência de seu avô, Nereu Ramos, que na época estava compondo o grupo republicano para a Comissão Constitucional de 1935, que representaria o Estado catarinense, ao lado de Antonieta de Barros, Altamiro Lobo Guimarães e Marcos Konder, entre outros. Tornou-se militante destacado, elegendo-se presidente do diretório do Partido Liberal em Florianópolis.

Em 1933, nomeado pelo Presidente Getúlio Vargas, foi o primeiro Inspetor Federal de Ensino junto à Faculdade de Direito de Santa Catarina, cargo que também exerceu no Ginásio Catarinense.

Em outubro de 1934, foi eleito Deputado à Assembleia Constituinte de Santa Catarina, pela legenda do PLC (Partido Liberal Catarinense), assumindo o mandato em maio de 1935. Participou dos trabalhos constituintes e, após a promulgação da Nova Carta Estadual, em agosto de 1935, passou a exercer o mandato ordinário, tornando-se 2o Secretário da Mesa Diretora. Permaneceu na Assembleia até o dia 10 de novembro de 1937, quando o Estado Novo (1937-1945) suprimiu todos os órgãos legislativos do país. Nereu Ramos (seu tio), que havia sido eleito Governador em 1935, passou a Interventor Federal no Estado.

Em 1942 ingressou na firma Carlos Hoepcke e a dirigiu, firma da família de sua esposa, mantendo paralelamente sua atuação política. A empresa era a detentora do maior parque industrial de Florianópolis.

Em 1947, venceu a disputa para Governador, tomando posse em 26 de março do mesmo ano. Contudo, em 4 de abril de 1948,  pediu licença, sendo substituído pelo Presidente da Assembleia Legislativa da época, José Boabaid, até 1950. No período seguinte, Aderbal Ramos reassumiu.

Por Santa Catarina, elegeu-se Deputado Federal para a 38ª Legislatura (1946-1951) e para a 40ª Legislatura (1955-1959). No mandato, consolidou a reforma da escola primária (atual ensino fundamental) iniciada por Nereu Ramos, importante aspecto para a nacionalização do ensino público. Criou o Serviço Florestal Estadual Catarinense e realizou duas reuniões Econômico-Agrícolas, uma no mês de maio de 1947, em Florianópolis, e outra, em março de 1949, em Lages. Foi responsável pela padronização técnica relativa ao cultivo do trigo, entre outras providências oficiais que tinham por finalidade: aumentar a  produtividade agrícola e a organização da vida rural catarinense. Tais medidas fizeram com que Dr. Aderbal fosse popularmente conhecido como “grande amigo dos simples”.

Em outubro de 1954, eleito Deputado Federal, por Santa Catarina, na legenda da Aliança Social Trabalhista, coligação formada pelo PSD e o PTB, assumiu o mandato em fevereiro do ano seguinte. Com o fim desse mandato, em 31 de janeiro de 1959, deixou a Câmara Federal e não se candidatou mais a cargos eletivos.

A partir de então, passou a desenvolver intenso trabalho de bastidores na política catarinense. No pleito de novembro de 1982 apoiou o candidato do Partido Democrático Social (PDS) a Governador de Santa Catarina, Esperidião Amin, que se elegeu. Apoiou a candidatura de Paulo Maluf à Presidência da República no pleito indireto de janeiro de 1985, vencido por Tancredo Neves.

Um dos mais destacados banqueiros do sul do país, presidiu o Banco Paraná-Santa Catarina. 

Sócio-fundador da Companhia Cacique de Café Solúvel, da qual, tornou-se Vice-Presidente.

Proprietário do jornal "O Estado" (diário mais antigo de Santa Catarina) e da Rádio Guarujá, de Florianópolis.

Faleceu em 13 de fevereiro de 1985, em Florianópolis/SC.

Homenagem: Escola Básica Aderbal Ramos da Silva. (Estreito, Florianópolis/SC).

Mandatos

Imagens
Referências

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SANTA CATARINA. Centro de Memória. Arquivos das Legislaturas: de 1835 a 2018.

CABRAL, Oswaldo R.. A História da Política em Santa Catarina Durante o Império. Florianópolis: Editora da UFSC, 2004.

CABRAL, Oswaldo R.. Breve Notícia sobre o Poder Legislativo de Santa Catarina. Florianópolis: Editora da UFSC, 1974.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Verbete Biográfico Aderbal Ramos da Silva. 2009. Disponível em: <https://goo.gl/orcLfR>. Acesso em: 17 out. 2017.

JAMUNDÁ, Theobaldo Costa. História de Santa Catarina. Curitiba - PR: Grafipar, 1970. 174 p.

NOTÍCIAS DO DIA (Santa Catarina). Assembleia homenageia Aderbal Ramos da Silva. 2011. Disponível em: <https://goo.gl/gjTra6>. Acesso em: 27 out. 2017.

PIAZZA, Walter F. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994. 714 p.

PIAZZA, Walter F. O Poder Legislativo Catarinense: das suas raízes aos nossos dias 1834-1984. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984. 800 p.

STOETERAU, Lígia De Oliveira. A Trajetória do Poder Legislativo Catarinense.. Florianópolis: IOESC, 2000. 446 p.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia Aderbal Ramos. 2018. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/4-Aderbal_Ramos>. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2018)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2018)

Memória Política de Santa Catarina