Marcelo Rego
Marcelo Rego

Natural do Rio de Janeiro/RJ. Deputado Estadual na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, século XX. Secretário de Estado da Comunicação.

Informações Gerais

Nome completo
Marcelo Albuquerque Mello Rego
Filiação
Ivan de Mello Rego e Dyrce Albuquerque de Mello Rego
Nascimento
21/12/1953
Local de nascimento
Rio de Janeiro/RJ
Formação
História
Profissão
Técnico Têxtil
Partido
Partido Democrata Cristão (PDC), Partido da Social Democracia Brasileira (PDSB)
Base Eleitoral
Médio Vale do Itajaí
Residência
Florianópolis/SC

Marcelo Rego

Nasci em 21 de dezembro de 1953, na cidade do Rio de Janeiro/RJ. Resido hoje na cidade de Florianópolis/SC. 

Meu pai se chamava Ivan de Mello Rego, era advogado e economista, mas sempre trabalhou na área de vendas. Minha mãe se chamava Dyrce Albuquerque de Mello Rego, não tinha formação acadêmica, mas era uma cozinheira sem igual. Minha esposa se chama Tauana Teixeira Mello Rego, nutricionista. Tenho três filhos, o mais velho, Thiago, é formado em Biologia, mas com MBA na área de marketing. O segundo, Vicente, sem formação acadêmica, mas é poeta com livros publicados. E a caçula, Joana, cursando Arquitetura. Tenho quatro netos, o Frederico, o Benjamin, o Joaquim e a Carlota.

Sou graduado em História pela UDESC (Universidade do Estado de Santa Catarina), técnico têxtil e cursei as Faculdades de Engenharia Civil, em São José dos Campos/SP e Blumenau/SC, na FURB (Fundação Universidade Regional de Blumenau), e Administração de Empresas, também na FURB, sem, no entanto, completá-las.

Minha experiência profissional iniciou na Cia. Hering de Blumenau, onde trabalhei cerca de 20 anos. Iniciei como auxiliar mecânico, mais tarde, fui gerente da malharia durante quase 10 anos e, depois, Diretor de Relações Públicas e Comunicação Externa da Empresa. Nesse cargo desenvolvi diversos trabalhos interessantes, sendo um deles, considerado um ‘case’ na área de marketing, que foi agregar valor ao produto. Para isso, foram utilizadas diversas ações, entre as quais destaco a criação e lançamento do livro “A História da Camiseta”. Na empresa, fui Presidente da Associação dos Funcionários e Diretor da Cooperativa de Consumo - cargos que, além de todo o meu trabalho, auxiliaram-me quando candidato.

Vida pública 

Fui eleito Deputado Estadual à Assembleia Legislativa de Santa Catarina para a Legislatura de 1991 a 1995, pelo PDC (Partido Democrata Cristão), com 14.266 votos. Fui Presidente regional do partido até sua extinção e, como único representante na Convenção Nacional para decisão de fusão, fui o único voto contrário, entre todos diretórios nacionais. Esse partido foi extinto para atender negociações nacionais para a formação de outro, o Partido Progressista Reformador (PPR).

Em maio de 1993, por causa da formação do PPR, deixei a União por Santa Catarina, que sustentava o governo estadual e me filiei ao Partido da Social Democrata Brasileira (PSDB). Para esse ato, ocorrido na cidade de Blumenau, minha mais importante base eleitoral, além de cidades catarinenses do Médio Vale do Itajaí, destacadamente, Rodeio, Indaial, Ascurra e Ibirama, compareceu uma grande parte de lideranças políticas de todos os partidos que faziam a oposição ao governo estadual, e também lideranças nacionais, tais como o Senador de São Paulo, Mario Covas, e o Presidente do PSDB, Tasso Jereissati.

Tive desde o início do meu mandato uma posição de independência e todo o meu trabalho, do começo ao fim, foi pautado nisso. Disse naquela ocasião: “Mudo de partido, mas não de postura. Continuarei a atuar com independência e coerência que marcam minha atuação na Assembleia”. Sempre falei: “Apoiamos o governo quando ele está certo e criticamos quando está errado”. Repetindo sempre que “não estou na política por acreditar em ‘favores’ ou ‘vantagens’”. Como afirmei naquele momento: “se tivesse apego ao poder, teria ficado ao lado do Governo do Estado”. Busquei uma linha ideológica, que naquele momento me conquistou, mesmo sabendo os riscos políticos que poderiam acontecer.

A minha entrada na vida pública teve início como Secretário da Comunicação de Blumenau, de 1989 a 1990, do então prefeito Vilson Kleinübing. Como Deputado Estadual, participei da Comissão de Finanças, entre outras.

Após meu mandato, fui Secretário da Comunicação e Chefe de Gabinete da Prefeitura de Blumenau na gestão do Prefeito Renato Vianna. Retornando para o Estado no governo de Paulo Afonso Vieira, a convite do Secretário Henrique Weber, para o cargo de Diretor de Desenvolvimento Econômico do Estado de Santa Catarina. Depois, retornei à Assembleia Legislativa catarinense para ser o primeiro Coordenador do Orçamento Regionalizado. Nos governos de Luiz Henrique da Silveira, exerci o cargo de Diretor de Comunicação da Secretaria de Estado da Comunicação. Depois, no governo Eduardo Pinho Moreira, fui Secretário de Estado da Comunicação. Atualmente, estou na Direção da Imprensa Oifcial de Santa Catarina.

Meu trabalho como Deputado teve grande enfoque na área da Educação e sempre destaquei nas minhas correspondências e contatos com os eleitores e a população em geral, que conferissem o meu trabalho. Resumidamente, posso citar alguns posicionamentos e projetos que viraram Lei:

Posicionamento enquanto parlamentar sobre propostas votadas na Assembleia:

  • contra o aumento de impostos para telefones e combustíveis;
  • contra a extinção da hora atividade para professores;
  • contra a reforma administrativa que aumentaria o número de “marajás” no serviço público.

Projetos que apresentei e que viraram lei:

  • concessão de benefícios ao setor de ‘software’ para estimular a criação de polos de informática;
  • dispensa de pagamento de documentos em cartórios para pessoas carentes e associações de bairro;
  • extensão de gratificação para professores que exercem funções administrativas;
  • reivindicações de verbas e convênios para as regiões que representava;
  • auxílio a hospitais, creches e escolas; 
  • campanha de esclarecimento sobre a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS).

No período, durante alguns anos, fui recordista na apresentação de emendas ao orçamento estadual e muitas propostas por mim apresentadas foram rejeitadas pelo Poder Executivo, tal como um projeto para incentivo da cultura e do esporte.

* Texto enviado pelo Deputado Marcelo Rego.

Mandatos

Referências

BIZINOVER, Ana Lucia. A História da Camiseta. Blumenau: Hering, 1988. 162 p. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMzEzNjk=>. Acesso em: 20 ago. 2018.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia Marcelo Rego. 2022. Disponível em: <https://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/683-Marcelo_Rego>. Acesso em: 06 de dezembro de 2022.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2022)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2022)

Memória Política de Santa Catarina