Virgílio José Vilela
Virgílio José Vilela

Comerciante e militar, natural de Desterro/SC. Deputado na Assembleia Legislativa Provincial de Santa Catarina e um dos fundadores da Sociedade Abolicionista de Desterro, no século XIX.

Informações Gerais

Filiação
Floriano José Vilela e Joana Buena Vilela
Ano nascimento
1843
Local de nascimento
Desterro/SC
Falecimento
22/07/1900
Local de falecimento
Rio de Janeiro/RJ
Profissão
Militar e Comerciante
Partido
Partido Liberal

Virgílio José Vilela

Nasceu em 1843, em Desterro/SC (atual Florianópolis), a Capital da Província. Filho de Floriano José Vilela e Joana Buena Vilela. Casou com Libânia Francisca Barcelos e tiveram filhos.

Virgílio e o irmão Militão possuíam o armazém Vilela e Cia., no centro de Desterro, na Rua Trajano. Ao mesmo tempo, Virgílio prosseguia a carreira Militar na terra natal, servindo no 1º Batalhão da Reserva da Guarda Nacional, passou a Tenente-Coronel Comandante, em 26 de julho de 1880, e, mais tarde, chegou a Coronel Comandante Superior da Guarda Nacional, em 8 de março de 1884. Delegado de Polícia de Desterro até maio de 1884, quando pediu exoneração do cargo.

Pelo Partido Liberal foi eleito Deputado à Assembleia Legislativa Provincial de Santa Catarina, com 599 votos - o terceiro Deputado mais votado, e participou da 27ª Legislatura (1888-1889), a última do período provincial.

Era compadre de Custódio Martins de Sousa, comerciante em Laguna/SC e no Rio de Janeiro/RJ e Deputado na Assembleia Legislativa catarinense à 23ª Legislatura (1880-1881).

Foi um dos fundadores da Sociedade Abolicionista de Desterro1, razão de ser citado algumas vezes pelo poeta Cruz e Sousa, filho adotivo do Deputado em Santa Catarina e Marechal Guilherme Xavier de Sousa:

No dia 7, á uma hora da tarde, houve em Palacio a
entrega de 28 cartas de liberdade, pela caixa-fundo
de emancipação provincial.
Foram distribuidas pelo Dr. Chefe de Policia
que dêo fulgòres ao acto, proferindo um bonito
discurso aos libertandos.
E’ agora a occasião de felicitar a Provincia e
pedir-lhe, em nome da Liberdade que tem vivido a
chorar á sombra do anachronismo escravocrata, toda
sympathia todo o amor, todo o carinho pela
redempção da desgraçada raça dos tristes.
Vinte e oito cartas de liberdade, são vinte e
oito bençãos de consolo, de purificação moral!
Vamos, Santa Catharina, mais um esforço
sobre ti mesma e galgará o pedestal do Capitolio da
Luz Democratica que encoraja os fracos e illumina
os fortes, e aquelles que estão sob a terrivel noite
das desesperanças e das duvidas!
Mais um passo para a igualdade dos direitos,
para a communhão das almas.
Obrigado, pelos libertandos do dia 7.
Cruz e Sousa
(SOUZA, 2012, pp. 174, 175)

Virgílio faleceu em 22 de julho de 1900, no Rio de Janeiro/RJ.


1 “Fundada em 10 de junho de 1883 (...) Entre os seus membros-fundadores estavam nomes como os de Afonso d'Albuquerque e Melo, Eliseu Guilherme da Silva, Germano Wendhausen e os já citados Estevão Manoel Brocardo e Virgílio José Vilela. No mais, além dessas organizações, também surgiram na cidade alguns clubes e sociedades beneficentes dedicadas à propaganda e ao estabelecimento de fundos para a promoção de alforrias”. (SOUZA, 2012, p. 168). A abolição da escravatura no Brasil aconteceu cinco anos depois, em 13 de maio de 1888.

Mandatos

Referências

Noticiario. A Regeneração: Orgam Democratico. Desterro, 1 fev. 1883. , p. 2-2. Disponível em: <https://goo.gl/WUDfRm>. Acesso em: 22 jun. 2018.

Noticiario: Protesto do Partido Liberal. A Regeneração: Da Provincia de Santa Catharina. Desterro, 2 nov. 1871. , p. 2-2. Disponível em: <https://goo.gl/NLfXnR>. Acesso em: 22 jun. 2018.

Virgilio José Villela e Militão José Villela Partecipão aos seus amigos que estabelecerão um armazem à rua Trajano. A Regeneração: Orgam do Partido Liberal. Desterro, 14 out. 1880. , p. 3-3. Disponível em: <https://goo.gl/LTX3N2>. Acesso em: 31 jul. 2017.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SANTA CATARINA. Centro de Memória. Arquivos das Legislaturas: de 1835 a 2018.

FRAZÃO, Dilva. Cruz e Sousa: Poeta Brasileiro. 2016. Disponível em: <https://goo.gl/FkrtJm>. Acesso em: 22 jun. 2018.

PIAZZA, Walter F. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994. 714 p.

PIAZZA, Walter F. O Poder Legislativo Catarinense: das suas raízes aos nossos dias 1834-1984. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984. 800 p.

SOUZA, Luiz Alberto de. A cor e a forma: História e literatura na obra do jovem Cruz e Sousa (1861-1888) . 2012. 370 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de História, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012. Disponível em: <https://goo.gl/WWPJgf>. Acesso em: 31 jul. 2017.

STOETERAU, Lígia De Oliveira. A Trajetória do Poder Legislativo Catarinense.. Florianópolis: IOESC, 2000. 446 p.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia Virgílio José Vilela. 2018. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/901-Virgilio_Jose_Vilela>. Acesso em: 12 de dezembro de 2018.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2018)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2018)

Memória Política de Santa Catarina