Felipe Schmidt
Felipe Schmidt

Militar e engenheiro, natural de Lages/SC. Duas vezes Governador de Santa Catarina, Deputado Federal Constituinte de 1891 e Senador representando os catarinenses, no final do século XIX e início do XX.

Informações Gerais

Nome completo
Felippe Schmidt
Filiação
Johann Philipp Schmidt e Felisbina Michels
Nascimento
04/05/1859
Local de nascimento
Lages/SC
Falecimento
09/05/1930
Local de falecimento
Rio de Janeiro/RJ
Formação
Militar e Engenharia
Profissão
Militar e engenheiro
Partido
Partido Republicano Catarinense (PRC)

Felipe Schmidt

Nasceu em 4 de maio de 1859, em Lages/SC. Filho de Johann Philipp Schmidt e de Felisbina Michels.

Casou com Lacinia Pereira Alvim, com quem teve Oscar, Jorge e Célia. A esposa era filha de Augusto Rangel Alvim e Elisa Alice Pereira Alvim. Felipe era concunhado de Fúlvio Aducci (casado com Alaide Pereira Alvim Aducci), que foi Deputado Estadual na Assembleia Legislativa catarinense, Deputado Federal e Governador de Santa Catarina, entre outros cargos exercidos.

Ainda jovem, Felipe mudou-se para Tijucas/SC, onde fez os estudos primários em escola pública. Em Desterro/SC (atual Florianópolis), completou os estudos secundários. 

Voluntariamente, alistou-se no Exército, em 27 de dezembro de 1876. Formou-se em Engenharia Militar pela Escola Militar, em 1883, do Rio de Janeiro/RJ, e integrou o Batalhão de Engenheiros. Recebeu as seguintes promoções militares:

  • Alferes-aluno (24 de fevereiro de 1881);
  • 2º Tenente de Artilharia (14 de outubro de 1882);
  • 1º Tenente (31 de outubro de 1883);
  • Capitão (7 de janeiro de 1890);
  • Major, por merecimento (3 de fevereiro de 1892);
  • Tenente-Coronel (14 de dezembro de 1900);
  • Coronel (4 de fevereiro de 1909);
  • General de Brigada (13 de janeiro de 1918);
  • General de Divisão reformado.

Como militar e engenheiro desempenhou as seguintes funções:

  • Construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré;
  • Ajudante de Ordens do Presidente da Província do Paraná, Visconde de Taunay (17 de  fevereiro de 1886);
  • Ajudante da comissão encarregada da Construção da Estrada de União da Vitória-Palmas (11 de janeiro de 1888).
  • Ajudante do Diretor da Colônia Militar de Chapecó (11 de maio de 1888);
  • Ajudante da Comissão designada para fundar uma Colônia Militar em Foz do Iguaçu (4 de junho de 1888).
  • Ajudante do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro (1888).
  • À disposição do Comandante do 4º Distrito Militar (1893).
  • Participou da Defesa da Lapa, no Estado do Paraná, batalha ocorrida entre janeiro e fevereiro de 1894;
  • Encarregado de obras militares em Minas Gerais, a partir de 31 de maio de 1898.

Vida Política

No campo político, atuou pelo Partido Republicano Catarinense (PRC).

Elegeu-se Deputado Federal por Santa Catarina, tomou posse à 21ª Legislatura (1890-1891), foi Deputado Constituinte e assinou a primeira Constituição republicana do país, promulgada em 24 de fevereiro de 1891.

Duas vezes foi eleito Governador do Estado de Santa Catarina, por sufrágio universal,  e governou de:

Durante seus mandatos como Governador teve grande importância na ligação viária entre regiões do Estado catarinense (Itajaí-Curitibanos, Florianópolis-Lages e Tubarão-São Joaquim), incentivou as instituições públicas de ensino médio e ensino agrícola, e trabalhou pela Aprovação do Acordo de Limites entre os Estados de Santa Catarina e Paraná, assinado em 20 de outubro de 1916, após disputa pelo território que desencadeou a Guerra do Contestado (1912-1916).

Foi Senador por Santa Catarina, tomou posse e participou das Legislaturas:

  • 26ª Legislatura (1903-1905) e 27ª Legislatura (1906-1908) - assumiu na vaga de Lauro Müller (nomeado Ministro de Estado Indústria, Viação e Obras Públicas), e exerceu o mandato por seis anos.
  • 28ª Legislatura (1909-1911) e 29ª Legislatura (1912-1915), com mandato de nove anos. Porém, renunciou à função que iria até 1917 (30ª Legislatura (1915-1917)) - por ter sido eleito Governador do Estado de Santa Catarina, onde governou de 28 de setembro de 1914 a 28 de setembro de 1918.
  • 31ª Legislatura (1918-1920) e 32ª Legislatura (1921-1923), assumiu na vaga de Hercílio Luz, em 1919, para completar o mandato restante de cinco anos.
  • 33ª Legislatura (1924-1926), 34ª Legislatura (1927-1929) e 35ª Legislatura (1930-1930) - eleito para nove anos de mandato.

Foi proprietário do jornal O Dia e sócio Fundador do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina.

Faleceu em 9 de maio de 1930, no Rio de Janeiro/RJ.

Homenagens e condecoração

  • Escola Básica Municipal Felipe Schmidt, bairro Itoupavazinha, Blumenau/SC.

  • Avenida Felipe Schmidt, Centro, Braço do Norte/SC.
  • Diversas ruas em municípios catarinenses receberam seu nome, inclusive uma das ruas centrais da Capital (Florianópolis), transformada em calçadão.
  • Título de Cavaleiro da Ordem da Rosa.

Imagem

Assinatura de Felipe Schmidt
Fonte: CORRÊA, 1983, p. 289.

Mandatos

Referências

ILHA VERDE: A Cidade dos Encantamentos, Florianópolis: do Autor. , 1 jul. 1930. Mensal. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODg4NDg=>. Acesso em: 13 set. 2017.

ACHE CEP. Felipe Schmidt. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODg4NjE=>. Acesso em: 13 set. 2017.

BRASIL. Prêsidencia da Republica . Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil (de 24 de fevereiro de 1891). Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzY3NjI=>. Acesso em: 20 mar. 2019.

BRASIL. Senado Federal. Senadores: Felipe Schimdt. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODg4Mzc=>. Acesso em: 13 set. 2017.

CORRÊA, Carlos Humberto Pederneiras. Os Governantes de Santa Catarina de 1739 a 1982. Florianópolis: Editora da UFSC, 1983. 356 p.

GUIA FÁCIL. Escola Básica Municipal Felipe Schmidt. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODg4NzQ=>. Acesso em: 13 set. 2017.

MATOS, Felipe. Armazém da Província: Vida Literária e Sociabilidades Intelectuais em Florianópolis na Primeira República. 2014. 241 f. Tese (Doutorado) - Curso de História, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNTYz>. Acesso em: 7 ago. 2017.

PIAZZA, Walter F. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994. 714 p.

PIAZZA, Walter F. O Poder Legislativo Catarinense: das suas raízes aos nossos dias 1834-1984. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984. 800 p.

SANTA CATARINA. Secretaria Executiva da Casa Militar. Felipe Schmidt – 1914 a 1918 - Vice: Lauro Müller. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rODg4MjQ=>. Acesso em: 13 set. 2017.

SANTANA, Miriam Ilza. Guerra do Contestado. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNTE0MzY=>. Acesso em: 10 fev. 2017.

STOETERAU, Lígia de Oliveira. A Trajetória do Poder Legislativo Catarinense.. Florianópolis: IOESC, 2000. 446 p.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia Felipe Schmidt. 2019. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/1170-Felipe_Schmidt>. Acesso em: 22 de agosto de 2019.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2019)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2019)

Memória Política de Santa Catarina