Duarte Paranhos Schutel
Duarte Paranhos Schutel

Médico, jornalista, escritor e poeta, natural de Desterro/SC. Vereador na terra natal, Deputado na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, por seis vezes, Deputado Geral do Império representando os catarinenses e Vice-Presidente da Província de SC, no século XIX.

Informações Gerais

Filiação
Henrique Ambauer Schutel
Nascimento
08/06/1837
Local de nascimento
Desterro/SC
Falecimento
06/10/1901
Local de falecimento
Florianópolis/SC
Formação
Medicina e Belas Letras
Profissão
Médico, jornalista, escritor e poeta

Duarte Paranhos Schutel

Nasceu em 8 de junho de 1837, em Desterro/SC. Filho de Henrique Ambauer Schutel. Seu pai era médico, exímio violinista, Cônsul da Bélgica, Vice-Cônsul da Itália, da República do Chile e da Sardenha no Desterro, e integrou a Empresa Colonizadora Demaria e Schutel, responsável pela implantação da Colônia Nova Itália, localizada em Santa Catarina, em território que é hoje Nova Trento, a primeira colônia de italianos no Brasil, que aportaram em Desterro, no ano de 1836. 

Com objetivo de estudar, Duarte mudou-se para Porto Alegre/RS, em 1841. Seis anos depois, em 1847, transferiu-se para o Rio de Janeiro/RJ, onde se formou em Belas Letras, pelo Colégio Dom Pedro II, em 1855, e em Medicina pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, em 1861.

Retornou à Santa Catarina em 1861. Aos 25 anos casou com Felisberta de Andrade e Almada e tiveram onze filhos, porém, apenas quatro chegaram à vida adulta. A esposa era filha de Eliseu Félix Pitangueira e de Felisberta Sérvula de Andrada e Almada.

Exerceu atividades de jornalista, escritor e poeta, ligadas às áreas científicas, políticas, administrativas, médicas e sociais. Colaborou com a Revista Popular, do Rio de Janeiro, e publicou no folhetim A Massambu, 1860-1861.

Foi coproprietário do jornal A Regeneração: Jornal da Província de Santa Catharina, fundado em 1868, com periodicidade diária. 

Membro do Instituto Farmacêutico do Rio de Janeiro e da Academia Filosófica do Rio de Janeiro, e fundador da Cadeira número 7, da Academia Catarinense de Letras.  

Foi Inspetor das Escolas do Desterro, a partir de 25 de fevereiro de 1863, Presidente e Inspetor de Saúde do Porto do Desterro (1877) e Inspetor de Higiene Pública (1882).

Tenente-Cirurgião do 1º Corpo da Cavalaria da Guarda Nacional do Desterro (nomeado em 17 de março de 1865) e Capitão Cirurgião-Mor do Comando Superior da Guarda Nacional do Desterro (após 26 de agosto de 1868). 

Na Assembleia Legislativa Provincial de Santa Catarina foi cinco vezes Deputado, pelo Partido Liberal, atuante na:

  • 15ª Legislatura (1864-1865), escolhido 2º Secretário da Mesa Diretora no biênio;
  • 16ª Legislatura (1866-1867), ocupou a função de Suplente de Secretário da Mesa da Casa no ano de 1867;
  • 17ª Legislatura (1868-1869), novamente Suplente de Secretário, em 1868;
  • 23ª Legislatura (1880-1881) ocupou a Vice-Presidência da Assembleia no biênio, e foi Vice-Presidente do Partido em Santa Catarina (1881); e
  • 27ª Legislatura (1888-1889), outra vez Vice-Presidente da Assembleia.

Na Primeira República, candidatou-se à vaga de Deputado Estadual ao Congresso Representativo de Santa Catarina, que substituiu as Assembleias Provinciais, ficou suplente, foi convocado e tomou posse à Legislatura (1892-1893). 

Eleito Vereador à Câmara de Desterro, 7 de janeiro de 1877, tendo sido seu Presidente nesse ano. 

Vice-Presidente da Província, nomeado em 1878, mas não chegou a assumir o governo. 

Venerável na Maçonaria e um dos fundadores da loja A Regeneração.  

Representando a Província de Santa Catarina, foi Deputado Geral do Império (atual cargo de Deputado Federal) e integrou a 19ª Legislatura (1885). 

Faleceu no dia 6 de outubro de 1901, em Florianópolis/SC.

Homenagem: Rua: Duarte Schutel, Centro, Florianópolis.

Obras

  • Análise das obras de Manuel Antônio Álvares de Azevedo (crítica literária), de 1857.
  • A Massambu, de 1860.
  • Considerações sobre os agentes anestésicos em relação à prática da cirurgia e sobre os meios de remover os acidentes que eles podem determinar (Tese de doutoramento), de 1861.
  • Relatório da Exposição Provincial de Santa Catarina em 1866.
  • A Regeneração (Periódico em SC), de 1868 a 1876.
  • Breve notícia sobre três esqueletos de indígenas brasilienses da província de Santa Catarina, de 1875.
  • A República Vista do Meu Canto (memórias), publicada em 2002.

Mandatos

Referências

Candidaturas. A Regeneração: Orgam do Partido Liberal. Desterro, 25 set. 1881. n. 73, p.1, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzcyMjQ=>. Acesso em: 16 jun. 2016.

Para Deputados à Assembléa Geral: 1º Districto. A Regeneração: Orgam Democratico. Desterro, 23 nov. 1884. p.1, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzcyNDc=>. Acesso em: 16 jun. 2016.

ACHE CEP. Duarte Schutel. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzcwOTE=>. Acesso em: 26 mar. 2019.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SANTA CATARINA. Centro de Memória. Arquivos das Legislaturas: de 1835 a 2018.

CONTEÚDO ABERTO. IN: WIKIPÉDIA: A ENCICLOPÉDIA LIVRE. Duarte Paranhos Schutel. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzcxOTE=>. Acesso em: 16 jun. 2016.

GOLDFARB, José Luiz; FERRAZ, Maria Helena Mendes. VII Reunião da Rede de Intercâmbios para a História e a Epistemologia das Ciências Químicas e Biológicas. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE HISTÓRIA DA CIÊNCIA E DA TECNOLOGIA, 7., 2000, São Paulo. Anais... . São Paulo: EdUSP, 2000. p. 1 - 259. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzcxNDQ=>. Acesso em: 16 jun. 2016.

GRISARD, Iza Vieira da Rosa. Duarte Schutel: Escritor, Poeta, Médico e Político. Rio de Janeiro: Terceiro Milênio, 1999. 183 p.

GRUPO POETAS LIVRES. Duarte Paranhos Schutel. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzcxMDQ=>. Acesso em: 16 ago. 2016.

MATOS, Felipe. Armazém da Província: Vida Literária e Sociabilidades Intelectuais em Florianópolis na Primeira República. 2014. 241 f. Tese (Doutorado) - Curso de História, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNTYz>. Acesso em: 7 ago. 2017.

MEDEIROS, Sérgio. Visconde de Taunay: Memórias. São Paulo: Iluminuras, 2004. 561 p. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzcxNjU=>. Acesso em: 16 jun. 2016.

PIAZZA, Walter F. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994. 714 p.

PIAZZA, Walter F. O Poder Legislativo Catarinense: das suas raízes aos nossos dias 1834-1984. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984. 800 p.

PORTAL CATARINA. Duarte Schutel. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzcxNzg=>. Acesso em: 16 jun. 2016.

RADIO 99,9 FM. Trineta do fundador visita a pioneira Colônia Nova Itália. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rNzcyMDQ=>. Acesso em: 16 jun. 2016.

STOETERAU, Lígia De Oliveira. A Trajetória do Poder Legislativo Catarinense.. Florianópolis: IOESC, 2000. 446 p.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia Duarte Paranhos Schutel. 2019. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/217-Duarte_Paranhos_Schutel>. Acesso em: 16 de julho de 2019.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2019)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2019)

Memória Política de Santa Catarina