Francisco de Oliveira Camacho
Francisco de Oliveira Camacho

Militar, natural de São Francisco do Sul/SC. Grande líder político na região, várias vezes Vereador na terra natal e nove vezes Deputado na Assembleia Legislativa Provincial de Santa Catarina, no século XIX.

Informações Gerais

Filiação
Francisco Oliveira Camacho e Isabel Maria de Jesus
Nascimento
07/04/1784
Local de nascimento
São Francisco do Sul/SC
Falecimento
14/07/1862
Local de falecimento
Joinville/SC
Formação
Militar
Profissão
Militar e Juiz Municipal
Partido
Partido Conservador

Francisco de Oliveira Camacho

Nasceu em São Francisco do Sul/SC, em 7 de abril de 1784. Incentivado por seu pai, Francisco de Oliveira Camacho, natural de Laguna/SC, mudou-se em 1801 para Desterro/SC (atual Florianópolis), com objetivo de estudar latim; sendo o professor Padre Francisco José Ramos quem iniciou a preparação de Camacho para a vida eclesiástica. Entretanto, desistiu desse intento e retornou a terra natal no mesmo ano.

Na ilha de Desterro casou-se com Rosa Ignácia da Conceição.

Em 1814, foi nomeado Alferes da 1ª Cia. de Infantaria de Ordenanças da Vila de Nossa Senhora da Graça do Rio de São Francisco (hoje São Francisco do Sul/SC) e promovido a Tenente. Em 1817, já era Comandante Interino do Distrito. No mesmo ano, em 1º de outubro, foi escolhido para comandar o Forte de São Luís da Barra da Vila do Rio São Francisco.

Como não tinham filhos, ele e Rosa encarregaram-se de muitas crianças, entre elas, Carolina Rosa, filha de João Vieira Tovar e Albuquerque, seu compadre, Governador da Capitania de Santa Catarina (1817-1821), um nobre português e militar, o qual, em 1818, imcumbiu-o de construir a estrada da Vila de São Francisco à Barra do Araquari. Camacho custeou a obra.

Mais tarde, comandou o Batalhão de Caçadores Milicianos na Vila de São Francisco, em 1819.

Por várias vezes presidiu a Câmara de Vereadores de São Francisco e foi Juiz Municipal (em 1833), cargo esse que, na época, passava pela indicação de vereadores e era decidido pelo Presidente da Província.

Cedeu lote de terras para formar o dote da princesa Francisca Carolina, filha de Dom Pedro I, que casou com o francês Francisco Fernando de Orléans, o Príncipe de Joinville, em 1843.

Por decreto de 13 de novembro de 1845, recebeu a condecoração de Cavaleiro da Imperial Ordem da Rosa.

Grande incentivador da colonização no norte catarinense; possuía terras em Saí, margem norte da Baía da Babitonga, e em Cubatão Grande, próximo ao aeroclube e aeroporto de Joinville/SC, ambas com registro de 12 de outubro de 1846.

Na Assembleia Provincial de Santa Catarina foi Deputado nos seguintes períodos:

  • Legislatura (1835-1837);
  • Legislatura (1838-1839), convocado, assumiu e licenciou-se em 8 de março de 1838;
  • Legislatura (1840-1841);
  • Legislatura (1842-1843), eleito com 54 votos;
  • 7ª Legislatura (1848-1849), licenciou-se em 29 de março de 1849;
  • Legislatura (1850-1851), recebeu 95 votos;
  • Legislatura (1852-1853), reeleito com 102 votos, tomou posse em 15 de março de 1852; 
  • 10ª Legislatura (1854-1855); e
  • 11ª Legislatura (1856-1857), outra vez suplente, foi convocado, mas permaneceu ausente e licenciou-se em 17 de março de 1857.

Faleceu aos 78 anos de idade, em 14 de julho de 1862, na Colônia Dona Francisca/SC, após procedimento operatório no sistema urinário. Uma perda para o Partido Conservador, já que não deixou herdeiro político natural.

Era um grande proprietário rural, morava em uma fazenda localizada em Morro da Palha, produzia farinha de mandioca, açúcar e cachaça; senhor de escravos que, no ano de sua morte (1862), possuía 37 escravos, época do tráfico interprovincial, quando as escravarias estavam em declínio na Província de Santa Catarina e aumentando nas do sudeste do país.

Mandatos

Referências

Actos do Poder Executivo: Secretarias do Estado. Republica: Orgam do Partido Republicano. Florianópolis - SC, 16 set. 1899. n. 202, p.1, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMjA4NQ==>. Acesso em: 5 jul. 2016.

Despachos em Requerimentos. O Correio Official: de Santa Catharina. Desterro, 2 nov. 1861. v. 2, n. 79, p.3, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMjAwMg==>. Acesso em: 5 jul. 2016.

Eleições. O Conciliador Catharinense: Jornal Official, Noticioso e Litterario. Florianópolis, 6 out. 1819. v. 1, n. 44, p.3, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTk3OQ==>. Acesso em: 5 jul. 2016.

O Mercantil: sobre o falecimento. O Mercantil: Jornal da Província de Santa Catharina. Florianópolis, 24 jul. 1862. v. 2, n. 133, p.2, Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMjAyNQ==>. Acesso em: 5 jul. 2016.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SANTA CATARINA. Centro de Memória. Arquivos das Legislaturas: de 1835 a 2018.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SANTA CATARINA. Diretoria de Tecnologia e Informações. Lista das Legislaturas: de 1947 a 2015.

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Requerimento sobre a remessa, ao Governo, de documentos que comprovam a má conduta do Comandante do 2º Batalhão de Caçadores, Francisco de Oliveira Camacho. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMjEwMQ==>. Acesso em: 5 jul. 2016.

CONTEÚDO ABERTO. IN: WIKIPÉDIA: A ENCICLOPÉDIA LIVRE. "Francisco de Oliveira Camacho Júnior". Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTk0Mw==>. Acesso em: 5 jul. 2016.

DIAS, Maria Cristina. Lusos no Norte catarinense – muito antes da Colônia Dona Francisca. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMjExNA==>. Acesso em: 5 jul. 2016.

DIAS, Maria Cristina. Quem eram e onde estavam os luso-brasileiros no nordeste de SC. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMjEyNw==>. Acesso em: 5 jul. 2016.

GÜTTLER, Antonio Carlos. A colonização do Saí (1842-1844): esperança de falansterianos expectativa de um governo. 1994. 182 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de História, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1994. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMTk1OQ==>. Acesso em: 5 jul. 2016.

PIAZZA, Walter F. A Escravidão Negra Numa Província Periférica. Florianópolis: Garapuvu, 1999. 142 p.

PIAZZA, Walter F. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994. 714 p.

PIAZZA, Walter F. O Poder Legislativo Catarinense: das suas raízes aos nossos dias 1834-1984. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984. 800 p.

SCHEFFER, Rafael da Cunha. Tráfico interprovincial e comerciantes de escravos em Desterro, 1849-1888. 2006. 162 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de História, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMjA2NQ==>. Acesso em: 19 ago. 2016.

SCHEFFER, Rafael da Cunha. Tráfico interprovincial e comerciantes de escravos em Desterro/SC (1849-1888): In: II Encontro “Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional”. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/rMjEzOTI=>. Acesso em: 5 jul. 2016.

STOETERAU, Lígia de Oliveira. A Trajetória do Poder Legislativo Catarinense.. Florianópolis: IOESC, 2000. 446 p.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia Francisco de Oliveira Camacho. 2019. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/292-Francisco_de_Oliveira_Camacho>. Acesso em: 07 de agosto de 2020.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2019)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2019)

Memória Política de Santa Catarina