José da Silva Mafra
José da Silva Mafra

Militar, natural de Desterro/SC. Membro da Junta Governativa de Santa Catarina de 1822. Senador, Conselheiro Geral, Deputado na Assembleia Legislativa Provincial e Vice-Presidente da Província de Santa Catarina, entre outras importantes funções desempenhadas no século XIX.

Informações Gerais

Filiação
Joseph da Silva Mafra e Maria do Rosário Soares Mafra
Nascimento
14/01/1788
Local de nascimento
Desterro/SC
Falecimento
03/07/1871
Local de falecimento
Rio de Janeiro/RJ
Formação
Militar
Profissão
Militar
Partido
Partido Liberal

José da Silva Mafra

Nasceu em Desterro/SC (atual Florianópolis), na Freguesia de Nossa Senhora das Necessidades, (hoje Santo Antônio de Lisboa), em 14 de janeiro de 1788. Filho de José da Silva Mafra (natural de Lisboa, Portugal) e de Maria do Rosário Soares Mafra (nascida em Desterro), casados em 23 de janeiro de 1783. 

José iniciou seus estudos na escola do regimento militar. Aos 13 anos de idade começou a carreira como Soldado Praça voluntário na Companhia de Granadeiros do Regimento da Linha de Infantaria da Ilha de Santa Catarina (1801). O batismo de combate aconteceu antes de completar os 14 anos, em campanha no Rio Grande do Sul/RS. Em 1808, seguiu em expedição militar para Caiena, na Guiana Francesa, lá teria sido ferido. Em 1809 passou a Tenente e recebeu medalha de honra por ter contribuído com as negociações de paz entre o Brasil e a Guiana.

Foi Secretário do Governo Português de 1809 a 1817. Passou a Capitão (1819) e a Sargento-mor (1820). Decidiu voltar para a província catarinense, onde foi nomeado Comandante da Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim/SC (10 de novembro de 1820). Em agradecimento por seu trabalho como Comandante Militar da Laguna/SC, recebeu do Imperador a Ordem de São Bento de Aviz.

A atividade política começou em abril de 1821, quando foi suplente do Padre Lourenço Rodrigues de Andrade (pároco da Freguesia de Santo Antônio, eleito representante da Província de SC para a Assembleia Geral do Império, o primeiro Senador catarinense). Ainda em 1821, recebeu a promoção de Major do Estado Maior do Governo da Província.

Tenente-Coronel (1822) e Secretário da Província (1824), também candidato ao Senado, sendo o vigésimo segundo na ordem de votação, não teve êxito. Em 3 de março de 1823 foi agraciado com o Hábito de Cavaleiro da Ordem Imperial do Cruzeiro.

Com a transformação das capitanias em províncias, ordenada por D. João VI, as províncias deveriam constituir Juntas Governativas, um “governo do provisório”, depois realizarem eleições. Em Santa Catarina, cinco membros integraram a Junta Governativa: Jacinto Jorge dos Anjos Correia (presidente), José da Silva Mafra (secretário), João de Bittencourt Pereira Machado e Sousa, Francisco Luís do Livramento e Joaquim de Santana Campos. A junta funcionou de 22 de maio de 1822 a 16 de fevereiro de 1824.

Em 1830, foi nomeado Vice-Presidente da Província de Santa Catarina.

Reformou-se como Tenente-Coronel Graduado Adido ao Estado Maior do Exército, em 19 de julho de 1832.

Integrou o Conselho Geral da Província catarinense (1833-1834).

Mafra pertence ao grupo de Deputados que inauguraram a Legislatura (1835-1837) da Assembleia Provincial de Santa Catarina. Reeleito para a Legislatura (1838-1839), exerceu a Vice-Presidência da Casa no biênio. Novamente Deputado na Legislatura (1840-1841) e na Legislatura (1842-1843), nessa última foi reconduzido como Vice-Presidente no ano de 1843. Na última candidatura a Deputado Provincial, ficou na suplência da Legislatura (1846-1847). No parlamento catarinense, atuou com seu irmão, Marcos Antônio da Silva Mafra, na 2ª, 3ª, 4ª e 6ª Legislatura. José teve outros parentes que ocuparam cargos políticos.

Assumiu assento no Senado 1, na vaga de Lourenço Rodrigues de Andrade que havia falecido. Empossado em 27 de dezembro de 1844. Tornou-se Senador escolhido pelo Imperador, da lista tríplice. Exerceu o cargo por dez mandatos: Legislatura de (1845-1847); Legislatura de (1848-1849); Legislatura de (1850-1852); 9ª Legislatura (1853-1856); 10ª Legislatura (1857-1860); 11ª Legislatura (1861-1863); 12ª Legislatura (1864-1866); 13ª Legislatura (1867-1868); e 14ª Legislatura (1869-1872), incluindo a 5ª Legislatura, que tomou posse como substituto.

Faleceu em 3 de julho de 1871, no Rio de Janeiro/RJ, aos 83 anos de idade, após ficar enfermo por longo período.

Diagrama Familiar

Fonte: Reprodução/Família Mafra (disponível em: http://www.mafra.com.br/genealogia/familychart.php?familyID=F000391&tree=arfamis001)


1 “O cargo era vitalício e privativo de brasileiros natos ou naturalizados, exigia idade mínima de 40 anos e rendimento anual mínimo de oitocentos mil réis. O Imperador escolhia um senador de cada uma das listas tríplices, de candidatos eleitos nas províncias por votação indireta e majoritária”. (Portal São Francisco).

Mandatos

Referências

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SANTA CATARINA. Centro de Memória. Arquivos das Legislaturas: de 1835 a 2018.

BANCO DE DADOS MUNDIAL SOBRE FORTIFICAÇÕES. Catarinenses Illustres: José da Silva Mafra. Disponível em: <https://goo.gl/MrUhF4>. Acesso em: 8 mai. 2017.

CONTEÚDO ABERTO. IN: WIKIPÉDIA: A ENCICLOPÉDIA LIVRE. “José da Silva Mafra”. Disponível em: <https://goo.gl/swXdfw>. Acesso em: 8 mai. 2017.

PIAZZA, Walter F. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994. 714 p.

PIAZZA, Walter F. O Poder Legislativo Catarinense: das suas raízes aos nossos dias 1834-1984. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1984. 800 p.

PORTAL SÃO FRANCISCO. História do Senado Federal Brasileiro. Disponível em: <https://goo.gl/9w7Kdj>. Acesso em: 8 mai. 2017.

SENADO FEDERAL. José da Silva Mafra. Disponível em: <https://goo.gl/7wJcWc>. Acesso em: 8 mai. 2017.

STOETERAU, Lígia De Oliveira. A Trajetória do Poder Legislativo Catarinense.. Florianópolis: IOESC, 2000. 446 p.

Como citar este documento
Referência

MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA. Biografia José da Silva Mafra. 2018. Disponível em: <http://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/533-Jose_da_Silva_Mafra>. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

Citação com autor incluído no texto

Memória Política de Santa Catarina (2018)

Citação com autor não incluído no texto

(MEMÓRIA POLÍTICA DE SANTA CATARINA, 2018)

Memória Política de Santa Catarina